28/06/2006

Grant Green

Depois de por mim conquistado o prêmio do concurso proposto por Mr. Lester, curtirei a glória alcançada em Belo Horizonte. Ia de trem pois há muito eu não faço essa viagem, mas a urgência dos compromissos exigiram-me asas. Eu havia preparado discos (12 horas de música) para ouvir durante o trajeto. Entre os músicos selecionados está o guitarrista Grant Green. A batida da faixa It ain't neccessarily so combinava perfeitamente com o leve balanço do trem. A caixa com dois cds, The complete quartets with Sonny Clark, está recheada com o toque sutil de Green perfeitamente entrosado com o piano de Clark. Green é um músico completamente acessível. Seu fraseado é transparente, límpido, mesmo quando lança dedos de mais velocidade nos solos. Talvez por isso mesmo alguns apreciadores de virtuosos que gostam de fazer presepadas com seus intrumentos tendem a torcer o nariz para o estilo de Green. Eu gosto. Eis, pois, uma coletânea que, com o frio que hoje desceu sobre Vitória, pede uma boa garrafa de malbec. Apreciem sem moderação.

PS: para não perder o costume, acrescentarei a faixa citada no meu gramophone

4 comentários:

Jonas Torres disse...

Esse cara tem um disco funkeado, King Funky (não lembro o nome correto), que me agradou.

John Lester disse...

Naum troco um Grant Yamandú por um Little Green.

Excelente esse box Salsa. Tbm recomendo aos navegantes.

Salsa disse...

A faixa já está no gramophone.

Pinto Souto disse...

Já ouvi uns troços chatinhos do Green. A faixa do gramophone está legal.