23/08/2006

Afonso Abreu e Lapataia


Afonso Abreu é um ícone da música capixaba. Iniciou sua carreira nos campos do pop lisérgico (anos sessenta) e migrou, nos anos setenta, para o jazz e a bossa. Diz o folclore local, que ele foi o primeiro baixista a navegar num baixo acústico (teria acontecido no Iate Club de Vitória, após uma noitada de muita música). Recentemente, Afonso lançou o cd Lapataia, ladeado pelo não menos significativo membro da trilha sonora da ilha mr. Marco Antônio Grijó (baterista top line) e pelo pianista Pedro Alcântara, que eu conheci quando ele ainda tinha dezesseis anos e era estudante da escola técnica (formamos, em 1990, um trio pouco ortodoxo: sax, teclado e guitarra). O disco, logo de cara, deixa perceber a qualidade não só dos músicos, mas também dos técnicos da gravação (a captação do som e a equalização estão muito boas). O trio, obviamente, privilegia o pianista, que mais uma vez mostra sua verve de grande músico. Mas isso só é possível devido à apurada performance do nosso baixista e do nosso baterista: dupla que no correr dos anos (creio que tocam juntos desde o jardim de infância) parece ter se unido de tal forma que deve ser guiada por um só coração e pelo mesmo pulmão. A batida está carregada pelo swing e pelo feeling que a estrada proporcionou a Afonso e Grijó e, o que não é nenhuma surpresa para mim, muito bem correspondida pelo caçula do trio, o pianista Pedro Alcântara. Como sempre, deixarei uma amostra no Gramophone by Salsa para o deleite do navegante.
PS: O disco está à venda na Lazer Discos (Vitória) e na Modern Sound (Rio). Em breve também será vendido em São Paulo.

9 comentários:

John Lester disse...

Salsa, providencie cópia. Please.

JL.

Salsa disse...

Pô, Lester, o original tá baratinho. Depois eu te arranjo um com os devidos autógrafos.

olneyfig disse...

eu tb quero, uai...

Anônimo disse...

salsa,
tem como chegar isso aqui pelo RJ ?!

abraço
Guzz

Salsa disse...

Acho, não tenho certeza, que o Afonso deixou alguns na Modern Sound. Hoje eu tentarei falar com ele sobre isso. Em tempo: o disco é uma produção quase independente (apoio da prefeitura de Vitória).

Anônimo disse...

beleza salsa
vou dar uma passada lá
abraço
Guzz

Anônimo disse...

Salsa,

Voçe esqueceu do nosso amigo Melão na Cozinha. Abraços

Mirano Ernani disse...

O Afonso foi um dos primeiros contactos que eu tive com músicos, no Espeírito Santo, e um que eu jamais vou esquecer ! Aquele showzásso no "Vive la Vie"...

Tata disse...

Alô Salsa, estou meio fora do assunto mas como voce entrou nesta história toda; Afonso é top da arte capixaba e Salsa tem um trabalho muito fino também e começamos no FEST UFES com blues...Tata Gomes brodezinho.