18/09/2006

Circulando

.

Em 1970 rolava no Village Gate, em New York, uma daquelas jam sessions que todos nós gostaríamos de ter visto e ouvido: convidado por Chick Corea, que se apresentava na casa com seu trio, sobe ao palco Anthony Braxton. O resultado foi o nascimento de um dos mais importantes grupos da década: Circle. As influências do jazz rock e do clássico estão ali, trazidas pelo baixista Dave Holland e Corea, ambos recém saídos das formações fusion de Miles Davis. Braxton, prestes a largar o jazz para tornar-se jogador de xadrez, anima-se com o convite para integrar o grupo e traz suas ricas idéias musicais, abraçando desde Buddy Bolden e Warne Marsh até Stockhausen e Xenakis. Resultado: composições intelectualmente complexas executadas com ampla margem para improvisação. Talvez por isso muitos digam que o Circle era um grupo de rock. Outros diziam que era um grupo de música clássica contemporânea. Jazz? Ouça você mesmo a faixa There Is No Greater Love no Jazzseen Jam Sessions – acima, à direita - e decida você mesmo.

6 comentários:

cottonette disse...

A faixa tá com defeito ou a turma é ruim assim mesmo???

augusto carlos disse...

Ainda sou mais essa música com os boss tenors: Sonny Stitt e Gene Ammons.

oswaldo oleare disse...

Já ouvi trocentas There Is No Greater Love. Mas essa da turma aí é de+, nememo? Tô vibrando com as coisas que ocês têm mostrado no excelente Jazzseen. Beleeeezzzaa. Abraços gerais do Oswaldo Oleare.
Em tempo: quando as noites são mornas e sem garoa, rola um bom jazz no Don Oleari/ bar doce bar, como já registrou o nosso grande Salsa, que inaugurou a nossa "Uma segunda de Primeira".

Salsa disse...

gRAAAANDE oSWALDO, nosso Don Oleare, il Capo da Ilha. O que vai rolar na próxima segunda?

bernardo disse...

Que negócio é esse de Don Oleare? Um bar? Um músico de jazz siciliano?

Parker disse...

Achei uma grande M esse tal de Circle. Argh.