02/09/2006

Hubbard & Heath Live At The Left Bank

.
Nas mãos sonolentas sustento o livro Almanaque Do Samba, do jovem historiador André Diniz, lançado ainda há pouco pela Jorge Zahar. Ele comenta, naquele tom gostoso dos almanaques, entre várias outras coisas, a vergonhosa aposentadoria forçada de Vinícius de Moraes pelo AI 5, em 13 de junho de 1965. No copo, dois bons dedos de Corralillo, um merlot com pitadas de malbec, de 2003. O amigo argonauta, chegado a tintos chilenos, pode comprar sem medo tantas garrafas quanto seu bolso permitir. Ao fundo coloquei uma excelente jam de Freddie Hubbard com Jimmy Heath, registrada clandestinamente por Vernon Welsh e seu gravador portátil. Lançada em cd pela Label M, a qualidade do som surpreende e a música é de primeira, com Gus Simms (p), Wilbur Little (b) e Bertell Knox (d). Se quiser continuar acordado, ouça What Is This Thing Called Love e Autumn Leaves. São 32 minutos de improviso gravados no Famous Ballroom, em 13 de junho de 1965. É logo ali – acima, à direita – no Jazzseen Jam Sessions. Bons sonhos!

5 comentários:

Salsa disse...

Esses gravadores americanos... Você já viu no cinema? Aqueles pequenos, de bolso, o resultado parece de um estúdio com 36 canais digitalizados (isso naqueles filmes dos anos cinqüenta).

augusto carlos disse...

Beleza de jam!

olneyfig disse...

Caramba, que "pauleira", ótimo!!!!

avaliador de blogs disse...

Jazzseen evolui lentamente. Nota 6.

pedro ernesto disse...

Se eu fosse avaliador de blogs eu daria nota 9 para a jam. Dez só se eu estivesse lá, ao vivo.