04/09/2006

Stitt plays Bird

Aproveito a deixa do disco postado por Lester para tecer um breve comentário sobre o saxofonista Sonny Stitt. Quero abordar aquele lance de ser comparado a Parker: isso é, ao mesmo tempo, um elogio e uma maldição. A estatura de Parker lança uma sombra muito abrangente, e aqueles que estão à sua volta correm o risco de não serem notados por suas performances. E tome comparação. Por esse motivo, muitos jazzófilos torcem o nariz ao ouvirem o nome de Sonny Stitt. Consideram pouco a sua grande capacidade de improvisação porque se parece com o som do pai do bebop. Eu acho isso, no mínimo, desrespeito ao trabalho do cara e também um sinal de patente ignorância sobre o que é a música e sobre o que quer que seja tocar um instrumento. Sonny, no entanto, parece não esquentar com isso, aliás, parece fazer questão de mostrar que o seu trabalho faz justiça à tradição parkeriana. É assim, por exemplo, no cd Stitt plays Bird, gravado em 1963. O nosso saxofonista está acompanhado por John Lewis ao piano, Jim Hall à guitarra, Richard Davis ao baixo e Connie Kay à bateria. São onze faixas, sendo que apenas uma delas não foi composta por Parker: Hootie blues, de McShann. O som resultante, para mim, faz jus a qualquer discoteca decente. Deixarei a faixa citada no Gramophone by Salsa. E viva Parker, e viva Stitt!!!

3 comentários:

John Lester disse...

Concordo em gênero, número e solo com Dr. Salsa. Grande saxofonista o Stitt.

Jacinto disse...

Beleza de blues. Vou ouvir de novo.

Reinaldo Santos Neves disse...

Salsa, dois pequenos detalhes sobre esse excelente cd de Sonny Stitt.

1) Mesmo Hootie Blues tem uma estreita relação com Parker, que tocou na Orquestra de Jay McShann no início dos anos 40: foi com essa banda que ele fez as mais antigas gravações que se conhecem de sua carreira, resultado de uma célebre sessão informal numa rádio de Wichita, Kansas, em 30 de novembro de 1940. Existe uma versão desse mesmo tema gravada em 1942 pela orquestra com solo de Parker. Cf. cd "Early Bird", da Stash.

2) De notar que o pianista de ambas as sessões de gravação do belíssimo "Parker´s Mood" (a original, com Parker, e essa outra, com Stitt) é o mesmo: o grande John Lewis, sua atual paixão pianística.