26/10/2006

Lenny Breau - Boy Wonder

.
Continuando nossa breve homenagem aos guitarristas de jazz, iniciada com Mimi Fox (acima, no Gramophone Jazzseen), hoje trazemos para os amigos navegantes Lenny Breau, um menino prodígio que as drogas levaram com 43 anos. Apesar da forte influência country, Lenny soube construir um estilo próprio, assimilando as contribuições harmônicas do post bop, especialmente as de Bill Evans, adaptando-as ao seu instrumento. Embora seja lembrado como um músico marginal, Lenny não deixa nada a dever em relação a guitarristas consagrados de jazz, como Jim Hall, Pat Martino ou Joe Pass. Sua calma e lirismo talvez indiquem uma sensibilidade profunda demais, responsável por seu ostracismo e, provavelmente, pela adição maciça de drogas que tornassem a realidade mais suportável, como o fizeram Lester Young, Charlie Parker e John Coltrane. No Gramophone By John Lester - acima, à direita - deixo a faixa My Funny Valentine, retirada do lp Five O'Clock Bells, lançado em cd pela Genes, em 1987. Boa audição!

7 comentários:

Salsa disse...

Lester, Where is the gramophone?

John Lester disse...

E eu sei?

Guzz disse...

tá com problema no site provedor - Bolt.com

Salsa disse...

É. Parece que eles estão dando uma geral. Espero que não exterminem nossos gramophones

John Lester disse...

Logo logo tudo volta ao normal.

Ou não.

JL.

avaliador de blogs disse...

Receio que a nota do blog em outubro oscilará entre 5,17 e 6,43. Lastimável!

Salsa disse...

Interpretação clássica, mas agradável. Pode acrescentar à lista.