14/12/2006

Flip Fantasia

.
Quando Alfred Lion e Francis Wolf criaram a Blue Note em 1939 talvez não tivessem idéia de que nascia ali uma das mais importantes gravadoras de jazz de todos os tempos. Nas décadas de 40, 50 e 60 a dupla gravou gente como Thelonious Monk, Bud Powell, Miles Davis, Clifford Brown, Art Blakey, Jackie McLean, John Coltrane, Lee Morgan, Dexter Gordon, Horace Silver, Sonny Clark, Hank Mobley, Sonny Rollins, Lou Donaldson, Jimmy Smith, Freddie Hubbard, Herbie Hancock, Wayne Shorter, Grant Green, Andrew Hill, Cecil Taylor entre outros mestres inesquecíveis do jazz. Em 1967 Lion é obrigado a se afastar por problemas de saúde e Wolf vai tocando sozinho a Blue Note até sua morte, em 1971, época em que a gravadora cai num triste período de inatividade. Em 1985, mesmo doente, Alfred tenta reativar o selo relançando velhos clássicos e colocando no mercado algumas gravações antigas que não haviam sido lançadas. Ao mesmo tempo, a Blue Note resolve lançar jovens talentos e ampliar seu panorama musical, abrindo as portas para novos e arrojados projetos. Um deles tem a ver com nosso assunto de dezembro: o acid jazz. Já vimos que uma das vertentes do acid jazz é aquela voltada para o rap e o hip-hop. Mel Simpson e Geoff Wilkinson são dois apaixonados pelas antigas gravações da Blue Note, tanto que formaram o grupo chamado US3, em homenagem ao álbum de mesmo nome de Horace Parlan, lançado pela Blue Note em 1960. Convidados para manipular o que bem entendessem do catálago da Blue Note, Simpson (keyboards e programming) e Wilkinson (samples, programming e scratches) lançam em 1993 o álbum Hand On The Torch, repleto de referências a alguns clássicos do jazz. Para os amigos argonautas, deixo no Jazzseen Salad a faixa Flip Fantasia criada em torno de Cantaloupe Island, de Herbie Hancock. A faixa começa com a voz inconfundível de Pee Wee Marquette, o apresentador mais marcante dos shows do Birdland. O trompete fica por conta de Gerard Presencer. Quem disse que os bons tempos não voltam mais?
.

6 comentários:

carla disse...

Delicia!

paulo vitor disse...

Não tem nada de jazz nisso.

thiago disse...

batidão com improviso, gostei

Ana De Lucía disse...

Legal, gostei da batida!

bia disse...

delicia hein lester...

Salsa disse...

Piromba, pirombê, sexmachine, uh!