03/04/2007

O JAZZ

E eu não digo isso porque o local era amplo, limpo e agradável. Tampouco porque a comida era farta e boa, a praia linda e próxima e a música ao vivo e a cores. O churrasco oferecido por João Luiz, um dos sócios fundadores do Clube das Terças, foi memorável por outro motivo: o acolhimento. Apesar de sua notória instabilidade de humor, João nos ofereceu o melhor churrasco com jazz de que tenho notícia. Ainda na estrada de barro esburacado, que mais tarde daria acesso a um amplo quintal, podia-se avistar uma placa improvisada onde até um míope poderia ler: JAZZ. Ninguém poderia errar, exceto, é claro, nosso amigo Pedro Nunes, o mais distraído escritor já nascido em São José do Calçado.
Até mesmo Fernando Achiamé, famoso por suas ínfimas habilidades em trilhas, foi capaz de chegar em tempo hábil ao local do encontro. Sem percebermos, lá estávamos todos nós: Chico Brahma com sua garrafa de água mineral sob a axila, Rogério com seu sorriso maroto sob o nariz e Reinaldo com sua face impenetrável sob a barba. O saxofonista John Lester não pode ir ao evento (dizem, sem provas, que sua noiva não lhe permitiu comparecer desacompanhado). Assim, o sax foi entregue a Mr. Salsa, o mais famoso clarinetista de Ponta da Fruta. Ao piano, Turi Colura, o italiano mais capixaba que já tive oportunidade de ouvir.
Com o passar do tempo, e com a ajuda da cerveja gelada, as pessoas começaram a sorrir sem motivo, compreendendo sem saber que aquele churrasco não era exatamente um churrasco: fomos percebendo que aquele momento cheio de alegria era, antes de tudo, a comemoração de uma longa amizade, uma amizade rara porque nascida de forma sincera e desinteressada, baseada tão somente num grande amor comum: o jazz.

7 comentários:

paulinho da embratel disse...

No próximo eu quero ir!!!

João Luiz disse...

Só tenho a agredecer aos presentes no evento,todos muito amáveis e cordiais. Contamos também com a música sempre marcante de mr. Salsa ao sax e mr. Collura ao piano.Música e músicos de primeira em uma manhã/tarde muito agradável, com jazz e bossa rolando solto. J.Lester não pode comparecer mas enviou seu representante, mr. André e sua noiva que abrilhantaram, juntamente com os demais o prometido encontro jazzístico. Obrigado a todos. Quem sabe no ano que vem possamos promover um segundo encontro?

Garibaldi disse...

Paulinho? É você?!? Volta pra casa, meu filho....

paulinho da embratel disse...

Eu só não apareci porque meu trompete estava desafinado!

Garibaldi disse...

Tudo muito bom, tudo muito bem, mas na foto do grupo notei a ausência de Rogério Coimbra. A figura mais parecida com ele é aquela senhora sentada de blusa vermelha e mão no queixo que pela semelhança deve ser a irmã mais velha de D. Cecília Milanez.

g picanco disse...

Meus parabéns pela Amizade.
Cheia de ingredientes maravilhosos.
É um prazer dar uma passadinha pelo JazzSeen só pra dar uma completada no tanque da simpatia.

PS.: Ô Paulinho da Embratel, o Geraldo Picanço, da antiga Embratel Sede, também gostaria de ir.

Rosangela disse...

Combinação perfeita: amor, amizade e jazz.