25/07/2007

Uma boa razão para tocar com bons músicos

Na última sexta, no intervalo da jam no Don Oleari, ouvíamos o comedido Miles Davis em um dos discos da série gravada em 56 (Relaxin', Steamin', Workin' e Cookin'). O trompetista é sustentado (termo mais apropriado que "acompanhado") por Red Garland, Saint John Coltrane, Paul Chambers e Philly Joe Jones. Como sempre, todos, ao ouvirem mais atentamente, repararam que Miles parecia ser o menor do grupo. Eu comentei, a la Garibaldi, com os colegas: "o efeito de se tocar com bons músicos é parecer que também é um bom músico, por isso eu toco com vocês. A gente faz o básico, evitando excesso de notas fora e, presto, fez-se um músico". Brincadeiras a parte, é delicioso poder sacar as peculiaridades de cada um dos músicos, as sutilezas nas construções dos solos, identificar o ponto forte da cada um deles. Convido-os, pois, a compartilharem a audição da bela Diane e compararem as performances dos solistas.

11 comentários:

John Lester disse...

Lembrou bem Mr. Salsa. Essa série é uma das poucas coisas que gosto de ouvir de Miles. Mas tenho minhas dúvidas se é por causa da presença dele ou dos mestres que o 'acompanham'.

Anônimo disse...

Qual a senha?

Jazzbund disse...

Zu dem ersten großen Miles Davis Quintett gehörten John Coltrane, Red Garland, Philly Joe Jones und Paul Chambers -- eine Gruppe, bei der jede Aufnahme beachtenswert ist. Die Reihe von LPs, die in einer brillanten künstlerischen Marathonsitzung 1956 aufgenommen wurde, erschien ursprünglich bei Prestige und ist auf der herrlichen, acht CDs umfassenden Chronik The Complete Prestige Recordings eingefangen, die von deren außergewöhnlichen Nachtclub-Repertoire lebt.

Popov disse...

a senha ééééé.... jazzseen

JoFlavio disse...

Mr. Salsa.

Miles na época teria assinado um pré-contrato com a Columbia com várias vantagens, financeiras inclusive. Mas, antes, foi obrigado a cumprir o anterior com a Prestige. Lançou 4 álbuns ao mesmo tempo, todos em 1956 (Relaxin', Steamin', Workin' e Cookin'). Seu primeiro trabalho para a Columbia foi Miles Ahead (@@@@@), ano seguinte, seguido de Quiet Nights, os dois com Gil Evans e uma concepção bem distante dos 4 discos inicialmente citados.

Guzz disse...

todos bons discos !
o Walkin também foi pela Prestige ... se não me engano

Sketches of Spain é mais dramático da fase Gil Evans, o Concerto de Aranjuez é pra ouvir no escuro !!!

E Miles estava em progressão, Round About Midnight, My Funny Valentine, Milestones até Kind of Blues, o ápice !!

Era "o cara" !

F. Grijó disse...

Por favor!
Blasfêmias são um passaporte para o Inferno!

Esses quatro discos a que o Doctor Sax Salsa se referiu tem uma unidade pouquíssimo vista no jazz.
Unidade essa que não é comprometida por Walkin', mas é melhor deixar isso para depois.

Mas por que considero o Salsa um blasfemo (nesse post)?
Sem Miles o disco não teria vida. Foi ele quem mandou Red Garland tocar de tal forma...foi ele que exigiu que Coltrane não entrasse no jazz modal (porque não estava pronto para isso, ainda).
Miles é, senhores, o grande maestro o disco.

Vcs implicam com Miles Davis.
Garibaldi está influenciando vcs?

Salsa disse...

Grijó,
Se dependesse do Gagá (como você sugere) nós nem chegaríamos perto dos discos de Miles. Eu tenho um número significativo da sua discografia (inclusive os desvarios fusion dos anos setenta - difícil de encarar). Agora, pensar em Miles ensinando a banda a tocar é tão difícil de imaginar quanto pensar em zagalo (o retanqueiro) mandar pelé, gerson e tostão tocar a bola de determinada forma. É ruim, hein?

F. Grijó disse...

Meu caro Doutor-saxofonista-cronista, em momento algum eu disse que Miles "ensinava". ele orientava para que a coisa saísse do jeito que ele queria, afinal ele era o chefe.
Vc, como músico e como "leader", sabe que a coisa funciona assim. Por isso é que é "leader".


Quanto à sua comparação, vale lembrar que, em 1970, Zagalo não era retranqueiro. E quem mandava no time era justamente Pelé, com ajuda de Gerson e de C.A.

Salsa disse...

Zagalo foi o primeiro ponta recuado do mundo. Retranqueiro, sim, senhor! O time de 70 cagava e andava para suas "ordens".

F. Grijó disse...

Foi justamente o qu eu disse, Doc.
Quem mandava era Pelé, Gerson e C. A.