14/04/2010

Beka Gochiashvili

Beka Gochiashvili nasceu no dia 11 de março de 1996, em Tbilisi, Georgia, uma daquelas tantas ex-repúblicas soviéticas. Aliás, quando estive por lá, surpreendi-me com a língua natal, que não é o russo, mas um dialeto incompreensível. Continuando: com apenas dois anos e meio, Beka teve a chupeta confiscada pelo pai, que prometeu devolvê-la caso o menino interpretasse algum dos ragtimes de Scott Joplin. Resultado: alguns minutos após o confisco, Breka teve sua chupeta devolvida. Aos três anos, Breka apaixona-se pela música contida no video Standards II, do piaista Keith Jarrett em trio com Gary Peacock e Jack DeJohnette. Aos quatro anos o menino já interpretava uma série de composições e, aos seis, começa a receber aulas de Zurab Ramishvili, considerado um dos melhores pianistas de jazz da Georgia. Ao verificar a habilidade do menino em compreender as mais complexas composições, recoenda que Beka passe a estudar também música clássica, o que passa a fazer sob a orientação de Tengiz Chitaishvili. Já amadurecido pelos oito anos de vida, Beka vence a competição promovida no Schwaigern Classical Music Festival, na Alemanha, interpretando peças de Ravel, Mozart e Handel. Aos nove, inicia estudos de jazz sob a direção de Zurab Ramishvili. Um ano depois já estava tocando em diversos clubes de jazz em Tbilisi. Em 2007 Beka participa do Saulkrasti Jazz Festival, em Latvia, sendo acompanhado, vejam só, por Lenny White e Victor Bailey. No mesmo ano, apresenta-se no 10th International Festival “Georgians Play Jazz”, realizado no Tbilisi State Conservatory. Em 2008, além de se apresentar na Embaixada Americana em Tbilisi, ouviu o seguinte comentário de Condoleezza Rice, Secretária de Estado: “Beka is one of the best jazz pianists I’ve heard anywhere.” Aos dez anos de idade, estimulado por amigos, músicos e professores, Beka viaja para New York, onde presta exames para a Juilliard School e para a Manhattan School of Music, sendo aprovado em ambas as instituições. Em 2009, algumas semanas antes de ingressar na Juilliard, Beka torna-se o mais jovem vencedor do Montreux Jazz Piano Competition. Atualmente, prossegue seus estudos, sendo auxiliado por professoes de escol, entre eles Frank Kimbrough (piano jazz) e Victoria Mushkatkol (piano clássico). Para os amigos, a faixa Bopbe, gravada durante seu show no Birdland, mês passado. E que solo de bateria é esse Mestre Olney?

25 comentários:

Murilo Barbosa disse...

Que som maravilhoso. Ele ainda é novo, por isso ainda soa muito parecido com Keith Jarrett (imita até os trejeitos e caretas), mas com certeza deverá se tornar um dos grandes mestres do futuro.

John Lester disse...

Prezado Murilo, seja bem-vindo ao Jazzseen.

Grande abraço, JL.

pituco disse...

master lester,

vi e ouvi o garoto aqui na net, há algum tempo...impressionante...aí já é um caso de prodígio, não é isso?

abraçsonoros

Internauta Véia disse...

Prodígio, com certeza!
Muito novinho, inquieto, bom de ver e ouvir...

PREDADOR.- disse...

Já não aguento mais esse monte de pianistas Russos: Alexei Kuznetsov, Boris Frumkin, Igor Dmitriev, Jaroslay Jakubovic e agora Beka Gochiashvili. Tudo muito bonitinho, muita "pasteurização" nas interpretações, muitos acordes "glicerinados", muita técnica, mas o importante que é a criatividade, "feeling jazzistico" e repertório fica tudo relegado a um segundo plano. Por favor, comparar Beka a Keith Jarrett é uma piada e o seu baterista (do Beka)nessa gravação, mais parece uma metralhadora. Solo de exibição sem a menor consistência (inicio, meio e fim, como faziam Art Blakey e Philly Joe Jones, dentre outros). Sou mais mr.Tandeta. Então mr.Lester, comente sôbre outras coisas. Por exemplo existem vários vinhos bons que poderiam ser analisados pelo blog!

Érico Cordeiro disse...

Esse é o grande Mr. Predador!
Bom, o Ruy Castro conta (no livro A onda que se ergueu no mar), que o João Donato, com 11 anos, foi se apresentar no programa de calouros do Ary Barroso.
Lá chegando, quando o garoto já estava a postos no microfone, para fazer uma belíssima apresentação de acordeon (ou sanfona), Ary o interrompeu e disse:
- Você não vai se apresentar aqui. Eu detesto garotos prodígio.
Bom, não sou tão radical quanto o Mr. Predador, e até gosto do Eugene Maasslov, um ótimo pianista russo.
Mas é bom dar um tempo ao garoto. Potencial ele tem e pode se tornar em um dos grandes nomes do piano.
Agora, outra historinha, colhida no blog d'O Pescador:
Lester Bowie, falando sobre o Wynton Marsalis, disse: "tecnicamente não há nada que possa ser dito. Ele só precisa agora sofrer, levar uns chifres, perder a mulher, beber muito, para poder fazer jazz".
Deixemos o jovem Beka passar por essas experiências. Hoje ele é meio que um prodígio. Se vai ser um jazzista de primeira linha (e com esse talento todo já está num bom caminho), só o tempo dirá. Torçamos!!!!!
PS.: já pensou se ele casa com a Hannah Montana e vai fazer uma turnê com os Jonas Brothers?

Beto Kessel disse...

falando em garotos promissores, sugiro que voces procurem um garoto chamado Gad Lehadi, que toca piano e emociona...procurem spain, tema de chick corea,

Beto Kessel

Andre Tandeta disse...

Mr. Lester,
em primeiro lugar um otimo domingo pro Sr. e pra todos os amigos aqui.
Dito isso vamos ao jazz:
Se ouvissemos uma gravação desse trio,só audio sem imagens e sem saber quem eram os musicos,alguns iam gostar,outros não mas ninguem estaria sabendo quantos anos tem o pianista. Numa suposta troca de ideias sobre o som ninguem falaria em idade ou meninos prodigios e nos concentrariamos na musica. Acho que esse papo de idade não tem nada a ver. E isso que o Lester Bowie falou é total mistificação do que é ser musico de jazz. Sera que todos os musicos de jazz ja foram cornos e bebados? Bobagem da grossa. Winton Marsalis é um grande musico e começou muito jovem , acho normal que alguns veteranos,como Bowie quisessem mostrar sua sabedoria dando conselhos ensinando que a roda é redonda. Como na vida de todos nos, sempre tem um coroa "sabichão" querendo explicar como é que é pros mais novos, eles acham que "antiguidade é posto".
Eu gostei trio tocando uma bonita composição de Keith Jarret. O pianista é muito bom,não quero saber se tem 8,12 ou 80 anos.E eu gostei do baterista,achei bacana o solo dele. O audio dessa gravação foi captado de maneira bem simples,provavelmente com o microfone da propria camera e isso resulta nesse som distorcido e "gritado " da bateria,mas o baterista é muito bom.
Predador:
obrigado mas cada um com seu cada qual,eu toco completamente diferente desse cara aqui mas nem por isso deixo de reconhecer o valor dele. Ele solou com muita categoria ,respeitando totalmente a forma da musica inclusive com uma "entrega" no final bastante clara. E usou um vocabulario que tem a ver,sim ,com Art Blakey e Philly Joe Jones. O que realmente esta meio ruim é a qualidade do audio e a bateria é o instrumento mais prejudicado.
A bolsa das ferragens esta a postos.
Abraço

Salsa disse...

Queria tocar 1/5 do que o moleque toca.

John Lester disse...

Grande Mestre Salsa, que bom ter retornado!

Aos demais, um grande abraço.

Carioca da Vila disse...

Ei, Salsa! Bem vindo!

Gostei do menino...Bom futuro para ele!

Carioca da Vila disse...

Ei, Salsa! Bem vindo!


Gostei do menino...Bom futuro para ele!

Rogério Couto disse...

Eu achei legal! Não entendo porque detonar o garoto, afinal ele ainda é um garoto. Vai amadurecer com a idade e provavelmente sua musica também.

George Shengelaia disse...

Dear All,

I don't understand Portuguese. Please send me your responses in English on my email account gshengelaia@gmail.com. I am Beka's foster father in the US. My wife and I decided to help him during his studies at the Juilliard School. He lives with us. We are from Georgia as well. I look forward to hearing from you.

Andre Tandeta disse...

Mr. Lester,
não fosse por um permanente estado de concentração em minhas tarefas profissionais e domesticas teria eu o maior prazer em traduzir e mandar por email para o "pai adotivo" desse tão talentoso pianista todos os comentarios aqui postados.
Dei uma rapida passada num site cujo responsavel é esse senhor(http://georgiandaily.com)e achei interessantissimo. Nada a ver com musica ou jazz,politica é o assunto deles. De todo modo acho muito bacana que o Jazzseen tenha chamado a atenção desse senhor.
Abraço

Sergio disse...

Que inusitado! Pai postiço -e coruja- de pianista mirim pede para traduzirem comentários no Jazzseen, afim de avaliar opiniões a cerca de seu protegido!...

Agora é maquiar o Predador para, às avessas, este tenha uma aparência mais simpática à causa como a de um Gilberto Gil. Quem abaianará o texto de Predador? Não percam os próximos capítulos!

figbatera disse...

Concordo plenamente com o comentário do amigo Tandeta.
O trio é bom mas é pena que o som esteja um pouco prejudicado.
Assim como da própria música, não importa a idade dos músicos.
Viva o jazz! Parabéns pro garoto!

figbatera disse...

E em todas as áreas sempre existe um geniozinho; veja esta notícia:
"Um estudante de apenas 10 anos está se transformando no novo fenômeno da pintura. Hamad al- Humaidhan chama a atenção de admiradores da arte e de comerciantes por reproduzir na tela o mesmo estilo que consagrou Pablo Picasso sem nunca ter visto qualquer obrar do gênio espanhol da pintura, segundo os seus pais.

O menino, que mora em Avon (Inglaterra), disse ao "Sun":

"Nunca tinha visto Picasso ou algum outro como ele. Então, quando vi quadros dele, surpreendi-me pois eles me pareciam bem familiares."

Para o negociador de arte Steve Turner, o menino tem um talento impressionante:

"Quando vi o trabalho dele fiquei maravilhado com o quão complexo ele era. A reação que obtive das pessoas é extraordinária. Será fascinante acompanhar como o estilo dele vai se desenvolver ao longo dos anos."

Está no Globo: http://oglobo.globo.com/blogs/moreira/

Sandra Leite disse...

JLester

Tudo é explicado pelo signo: é peixes, sensibilidade ao extremo!:)

Brincadeiras à parte, sempre que vejo alguém fora da curva tenho sentimentos opostos:

Uma baita inveja e uma enorme vontade de falar pra viver a vida, "como um garato que amava os Beatles e os Rolling Stones"

beijos

Anônimo disse...

free por [url=http://pornushi.ru/english-version/happy-days-xxx/page-241.html]dwarfs porn http://.com/files or http://.de/files or www..com/files or www..de/files -forbidden -inactivity -found -de[/url]

Ricardo Carneiro disse...

Realmente impressionante a habilidade do jovem pianista.

Conheci hoje o Jazzseen e gostei muito do blog, parabéns!

Também escrevo num blog sobre Jazz, acesse www.jazzblog.com.br e compatilhe conosco um pouco do seu conhecimento musical.

Abs,

Ricardo

Anônimo disse...

Sou apaixonada por Beka Gochiashvili a muito tempo desde que desde que ouvi sua interpretação de Cantaloupe Island que é uma das melhores que conheço.
Ele está longe de ser só um menino prodígio é um músico de enorme talento e uma segurança e originalidade incríveis.
Mas sou super suspeita, Kapustin é meu ídolo e russos pelo que estou aprendendo aqui não podem tocar jazz.

Anônimo disse...

Aconselho ao Predador preparar os seus dedos com horas de escalas, muita cultura musical e exercícios clássicos e tentar tocar só um pouquinho de piano, para que ele possa entender o quanto Beka Gochiashvili toca. Já ouvi besteiras semelhantes a respeito de Thelonious Monk e até do mestre Oscar Peterson que um "músico" disse ser viciado em escalas.
Quem sabe faz, quem não sabe critica, e mal.

Schardong disse...

Existe uma expressão "Gozar com *%& dos outros", que aqui vejo caber perfeitamente... ela é útil quando alguém exalta aquele amigo bonitão, pegador, a quem temos inveja e orgulho, ao mesmo tempo! "Eu conheço esse cara aí! Pega todas e é meu amigo!"
Isso se estende a jogadores de futebol, artistas e também com música!!!
Todos conhecem alguém que toca "melhor" que o moleque! Todos temos teorias sobre o caminho do jazz, do flerte, do futebol...
Estamos contemporâneos de seres humanos talentosíssimos, mas os bons mesmos já morreram ou estão perto disso?

Schardong disse...

Ah, e parabéns pelo blog e pelas discussões!! Alto nível!!
Um abraço a todos!!!