30/01/2011

O jazz morreu: Lage Lund

Se você deseja saber o que os guitarristas de jazz andam fazendo por aí, aqui está uma boa opção. Segundo álbum como líder, apresentando composições próprias que se debruçam entre os limites do neo-bebop e da avant-garde, Unlikely Stories, lançado pela Criss Cross em 2010, certamente não é um álbum para iniciantes no jazz, nem para aqueles ouvintes mais ortodoxos que somente ouvem Barney Kessel, Wes Montgomery ou Howard Alden. Lage Lund nasceu na Noruega e, após algum tempo retirando neve das estradas, resolve partir para Berklee, a famosa escola de Boston. Mais tarde, continuaria os estudos, dessa vez na também prestigiada Juilliard, de New York, sendo então o primeiro aluno de guitarra elétrica na história dessa instituição. Aproveitando sua estadia nos EUA, Lund trabalha com músicos de primeira linha, como Wynton Marsalis, Ron Carter, Mulgrew Miller, Seamus Blake, Carmen Lundy, Aaron Parks e Marcus Strickland, além de integrar a The Mingus Band. Em 2005, vence o importante The Thelonious Monk international jazz competition, sendo imediatamente sondado por inúmeras gravadoras de jazz. Atualmente, além de atuar como líder, Lung integra o quarteto de David Sanchez. Para os amigos dispostos a quebrar a dieta de fibras e frutas, fica a suculenta faixa Swagger , temperada com ingredientes bastante calóricos. Com ele estão Ed Simon (p), Ben Street (b) e Bill Stewart (d).

22 comentários:

Internauta Véia disse...

Muito bom...! Som delicioso...!

Andre Tandeta disse...

Mr. Lester,
pra mim qualquer disco com Bill Stewart na bateria deve ser ouvido com atenção. Um grande musico , inovador e com muita personalidade.
Existem muitos bateristas, inclusive aqui no Brasil, que temtam imita-lo, tarefa ,obviamente ,impossivel.
Abraço

Andre Tandeta disse...

OPSS!!! tentam, e' claro.
Grato

thiago disse...

som cabuloso

Vagner Pitta disse...

Falaaaa, caro Lester!!! Voltando às postagens em grande estilo, heim?


Bem...sábias palavras as do Tandeta. O baterista é um dos grandes contemporâneos.

O Ben Street também é um dos grandes contrabaixistas atualmente.


E este pra mim foi um ótimo post, já que sou fissurado na linhagem contemporânea do "neo-bop" e "modern post-bop" propagada pela gravadora Criss Cross: ou seja, conheço alguns nomes dela (como o pianista Dave Kikoski e o trompetista Alex Sipiagin), mas este guitarrista não o conhecia ainda. Ele tem muito traquejo, fluência, um timbre legal...enfim, interessate!


Valeu pela dica!

Guzz disse...

beleza !
bom ver os guitarristas em foco nos blogs amigos
o garoto é bom ! já o assisti por duas vezes, no quarteto do David Sanchez e na big bang da Maria Schneider

e nesse disco o time é da pesada !

e como é bom ouvir a guitarra em seu som mais puro, limpo, sem o complemento dos efeitos que a grande maioria dos guitarristas atuais usam - vide Rosenwinkel e Mike Moreno

e é impressionante a similaridade na digitação das notas deles todos, uma nova identidade da guitarra na música contemporanea

abs,

MJ FALCÃO disse...

Gostei! Não conhecia, claro...
Adoro Jazz, mas confesso a minha ignorância. Passo muito por blogs brasileiros (Borboletas de jade; Jazz+bossas e dantes via o seu) a ver "what's on".
Bom trabalho!
o falcão

Salsa disse...

Como dizia um amigo, "esse já não está mais procurando notas, sabe onde encontrá-las... no devido momento.
Estou com um guitarrista desconhecido, pelo menos para mim, na fila de espera. Mas a estória é outra.

Carioca da Vila disse...

Beleza o som da guitarra, baterista perfeito,piano e contrabaixo no "ponto"! Que belo disco!

John Lester disse...

É como eu sempre digo, o que seria de nós sem um Fusca e um violão?

Grande abraço a todos.

Andre Tandeta disse...

Acabei de postar la no CJUB(charutojazz.blogspot.com) um video com Bill Stewart.
Quem quiser saber mais sobre a arte de grande musico vale a pena dar uma olhada, e' bom demais. Simplesmente musica na bateria.

Frederico Bravante disse...

A mim me gusta el video, gracias!

Érico Cordeiro disse...

Mr. Lester,
A sonoridade do moço (que não conhecia) é límpida, fruto de quem, creio, ouviu muito Joe Pass e Wes Mongomery. O tema postado é maneiríssimo.
O Edward Simon é um grande pianista, embora nesta gravação esteja bem discreto. Dele tenho o Unicity, ao lado do John Patitucci e do Brian Blade, que é ótimo.
Valeu a dica. Esperemos o crudelíssimo veredicto do Predador :-)
Abração!

pituco disse...

master lester,

um fusca e um violão...e uma nega chamada tereza...que me pergunta agora, por quê não colocaram um pandeiro nessa gravação do norueguês...o jazz morreu aqui

mas, sempre benvindo o som da nova geração...e como bem disse mr.salsa...já sabem onde as notas estão...

abraçsons

PREDADOR.- disse...

É melhor não comentar nada. Lage Lund, John Patitucci, Brian Blade, David Sanchez, Mike Moreno, Alex Spiagin etc... para mim é tudo como se fosse "palavrão". Não consigo entender estes caras como sendo músicos de jazz. E, além do mais, porcaria já basta o Vasco. Não é mr.Cordeiro???

Érico Cordeiro disse...

É, Mr. Seu Predador!
A coisa tá braba! Mande um detonador atômico pra São Januário, pra acabar com uma meia dúzia de pernas de pau e cabeças de bagre que só andam fazendo besteira por lá!
E não seja preconceituoso - peça pro Lesteer o endereço da academia e faça umas boas e relaxantes aulas de aerobahia, ok?

Andre Tandeta disse...

Predador, voce e´muito fraco, simula uma contusão e sai fora,nos poupando do seu costumeiro bestialogico.

Érico Cordeiro disse...

Mr. Seu Tandeta,
Você está zangado comigo?
Pô, estamos sentindo sua falta lá no jazzbarzinho!
A casa pode não ser tão chique quanto o palácio Jazzseen, onde só se toma vinho de primeira, mas é limpinha e o chopp é geladinho!

LeoPontes disse...

Voces conhecem um 1stclass Brazilian guitar man de nome Eduardo Ponti ? Formado tambem em Berklee,Boston? O cara é excelente, assim como a turma q toca com ele. Creio que Tandetta sabe dele e saberá melhores comentarios que os meus.

Abrçs a todos

APÓSTOLO disse...

Tomei conhecimento do baterista pela postagem do TANDETA no CJUB: fera, muito fera ! ! !

Yvanna disse...

Lage é é simétrico... mestre em voices como há muito não via!!! Sigo imprevionado e ja o convidei a participar de meu cd. Geração de utero livre para o jazz. Tremendo.

Moises Mendes.
Ton & Voice
Jazz for the Nations.

Arthon Thorys disse...

Hi guys!!! Where is the link? Thanx! Take care now!