19/05/2006

Retrato em branco e preto

.
Falando em Wynton lembrei do Morrison, James Morrison. Um australiano que hoje conta com 44 anos e dá uma surra de espontaneidade, alegria e swing no azulão do Lincoln Center. Quem diria, um branco azedo fazendo o que o Wynton deveria estar fazendo ...

.

Snappy Doo - 1990 - Atlantic

.
Com a academização do jazz, com aulas regulares sobre improviso e regras sobre liberdade, as universidades norte-americanas estão conseguindo destruir aquilo que mais me atrai no jazz: o chute no balde das concepções acadêmicas. Tem coisa mais chata que jazz arrumadinho ?

.
Bem, fica a dica do grande trompetista australiano, um virtuose do instrumento que toca com alegria e ainda se aventura no trombone, sax alto e barítono e piano, sem medo de ser feliz.


8 comentários:

duraço disse...

Po, onde vcs arranjam esses discos Salsa ?

Ausente disse...

Como o erro tem se repetido: é LincoLn (você tem comido um L).

Salsa disse...

Isso é coisa do Lester. ele compra disco até de monge tibetano tocando sopa de broto de bambu.

John Lester disse...

Salsa, por falar em sopa de broto de bambu, estou pensando em marcar a próxima feijoada no dia e hora de suas atividades docentes. Não é uma boa idéia ? Vou consultar o Clube e depois envio o resultado da votação.

JL.

John Lester disse...

A propósito, creio que nosso ausente leitor está com problemas de vista: onde o senhor leu "Lincon" ? Saiba que está tratando com especialistas em jazz aqui meu caro. Eu e Salsa já estivemos várias vezes no tal Center, inclusive orientando Wy a respeito de algumas dúvidas sobre jazz e nomes próprios afro-luso-norte-americanos.

JL.

Ausente disse...

nada como a humildade...

Big M. disse...

Lester, me empresta uns discos do Chet Baker?
É para acompanhar o livro...

John Lester disse...

Pega domingo comigo tá bom ?

Beijo.