10/06/2006

Eis o Presidente

Prezado leitornauta Vinícius: Provavelmente foi uma noite fria aquela do final de novembro de 1952. As almas que foram ao boteco tomar umas e outras para quebrar o gelo não sabiam que, justo naquele momento, alguns dos grandes nomes do jazz estavam reunidos gravando um disco que aqueceria os espíritos apreciadores do jazz durante todas as décadas seguintes. Quando Lester Young começou a tocar seu sax ao lado do quarteto formado por J. C. Heard à bateria, Barney Kessel à guitarra, Ray Brown ao baixo e Oscar Peterson ao piano, começou também a escritura de uma das mais belas páginas do jazz. Todos estavam inspiradíssimos. O sax de Lester, encantado, diz frases comoventes. Que simplicidade! A poesia, nua, passeia pela sala e impregna o ambiente com sua beleza. O som do grupo surge como aqueles raios do sol que se impõem, despretenciosos, às manhãs do outono ou do inverno e aquecem suavemente esse lado da rua. Se você ainda não ouviu, ouça The president plays. Se já ouviu, ouça de novo e convide os mais próximos. Indico, como acompanhamento, um conhaque com pelo menos oito anos de barril.

4 comentários:

John Lester disse...

Prezado Salsa, golpe baixo não vale !

O que seria do jazz sem John e sem Lester ?

Esse é um daqueles discos que guardamos em separado, ali no canto mais aconchegante da estante.

Vinícius disse...

OBRIGADO!

não ouvi esse ainda, vou espera "virar" o mes no cartãoi de crédito e peço um. rsrsr.

Afonso Lírio - SP disse...

Salsa, pensei que fosse a única pessoa no Brasil que ainda ouvia o Pres.

Parabéns pelo excelente blog.

Salsa disse...

Prezado mr. Afonso Lírio, agradecemos (eu e John Lester) pela visita. Dia desses dedicaremos a radiola ao bom Lester Young. Convide os amigos para degustar essa boa safra.