11/06/2006

NADA

.
Lá estávamos eu e Garibaldi caminhando pela gélida Finlândia quando percebemos, de um beco sombrio e calmo, fluir no ar um blues glacial. Seguimos imediatamente para o velho bar, construído sobre pedras medievais, onde duas vodkas congeladas nos explicaram o que estava acontecendo por ali. Cinco músicos transparentes - o mais simpático deles nos parecia Hitler - tocavam um blues mais negro que a neve. Compreendemos, então e finalmente, que a música tem esse dom de espalhar no ar. Viajar milhares de quilômetros e, ainda assim, estar sempre no mesmo lugar. Garibaldi, que nunca se esquece do gravador portátil, gravou o tal blues para nosso deleite. Clique no link Jazzseen Jam Sessions, complete a dose de vodka e venha porque, em certos lugares, a noite é mais longa. Ou nunca termina.


.
NADA - Heikki Nikula (bcl), Pentti Lahti (ts), Sampo Lassila (b)
Eero Hämeenniemi (p), Markus Ketola (d)

8 comentários:

John Lester disse...

Essa resenha é dedicada à Bet.

Anônimo disse...

UFA!!!!!

Udeene Setenta disse...

Antes UFA que TFP.

Alberto Lorenção disse...

onde vcs conseguem essas coisas ??????

bonita demais a musica !

Salsa disse...

Tema interessante e a interpretação ídem.

fabricio disse...

Parabéns pelo blog de alto nível.

Anônimo disse...

Esse tal de John Lester adora citar discos que ninguém conhece só para aparecer. Ai, ai.

Big M. disse...

Ô anônimo, vc. ñ. pegou o espírito da coisa, esse é um blog de amantes do jazz, onde os participantes têm satisfação em apresentar aos confrades o que de melhor conhecem no gênero, compartilhando c/ todos o prazer de curtir bons (ótimos)momentos.
Vc. ñ. sabe o q. é isso, ñ. é mesmo?