29/08/2006

Moodness

.
O que fazer quando sua cabeça é muito pequena para acomodar todas as suas idéias? Alguns tomam cachaça e depois batem na esposa ou conversam bêbados com seus cachorros. Outros, como Wayne Horvitz, aprendem a tocar piano, sintetizador e órgão, criam vários grupos - Pigpen, Ponga, The President, The 4 + 1 Ensemble e Zony Mash - e tentam diluir aquele emaranhado de idéias que parecem explodir em seus cérebros. Wayne é um daqueles músicos nascidos em New York na rosada década de 1950. Antenado demais para se comover com Beatles ou Stones, partiu para a música de verdade. Gravou com Billy Bang, Marty Ehrlich, Bill Frisell, Bobby Previte e John Zorn, entre tantos outros músicos inquietos. Com grande senso de organização, dividiu seus trabalhos em compartimentos: complexidade, experimentalismo e virtuosismo em algumas gavetas. Swing, groove, bom humor e informalidade em outras. Seus trabalhos com o grupo Zony Mash mostram bem o lado moodness de Wayne: composições simples no resultado, peso nos dedos e um balanço funky que me agrada bastante. Se você gosta de Hammond B-3 e de coisas como Medeski, Martin & Wood, vai gostar do som de Zony Mash. Para os argonautas carentes, segue uma faixa-petisco no Jazzseen Salad - acima, à direita. Bom apetite!

3 comentários:

bia disse...

Nada como acordar as 5 da manha e ouvir jazzseen!

Delícia.

Salsa disse...

Bia, a madrugadora. Bem disposta, mesmo. beleza.

augusto carlos disse...

Gostei do som!