15/08/2006

Músico do mês: Count Basie

.
Em agosto de 1904 nascia Count Basie, o músico que melhor definiria o significado da palavra swing. Tudo bem, você pode até ponderar que o aclamado rei do swing foi Benny Goodman, conforme consta na maioria dos manuais sobre jazz. Nesse caso, certamente temos ouvidos e preferências musicais bastante diferentes. Talvez Benny tenha ganho mais dinheiro e fama que Count mas, em minha opinião, nenhum outro músico de jazz da década de 1930 expressa melhor a idéia de swing feeling do que Count Basie. Basie começa a carreira como mais um pianista de stride, na linha inspirada por Fats Waller. Seu toque, contudo, já se distanciava dos padrões usuais desse estilo em função da leveza, economia e precisão: Basie sempre escolhia a nota ideal, no momento ideal, quase sem colesterol. Sua concepção de tempo lembrava a dos melhores bateristas, talvez em virtude de ter iniciado sua carreira nesse instrumento. Sabendo utilizar o silêncio com maestria, era capaz de estabelecer o tempo e a temperatura da banda com breves e sutis toques nas teclas de seu educado piano. Embora não tenha inventado o comping - interligações de acordes suaves, rápidos, sincopados e com forte carga de swing - Basie é o criador do modelo mais utilizado na época.

A partir dessas características, Basie formou a primeira banda de jazz capaz de swingar de forma suave, relaxada e perfeitamente integrada: piano, guitarra, baixo e bateria pareciam soar como um instrumento único e complexo. Com o auxílio do guitarrista Freddie Green, do contrabaixista Walter Page e do baterista Jo Jones, Basie estabeleceu o padrão mais consistente de swing feeling que já ouvi. Em faixas como One O'Clock Jump (1937), Jumpin' At The Woodside (1938) ou Lester Leaps In (1939), podemos verificar que tipo de música Basie produzia: embora mais simples que a música feita por seus amigos na costa leste, nenhuma outra banda da época swingava como a de Count. Apoiado sobre os chamados head arrangements - típicos no estilo riff band de Kansas City - baseados em frases curtas (riffs), que em nada lembravam as improvisações coletivas do estilo New Orleans, Basie permitia muitas vezes que seus músicos criassem espontaneamente ('de cabeça') seus riffs em plena execução. Nada mais justo que somente os melhores músicos do jazz tenham passado pelas bandas de Basie, entre eles os seguintes saxofonistas: Don Byas, Lester Young, Buddy Tate, Wardell Gray, Lucky Thompson, Illinois Jacquet, Serge Chaloff, Paul Gonsalves, Eddie Lockjaw Davis, Frank Foster, Frank Wess e Paul Quinichette.

De todos, Lester Young é sem dúvida aquele que se destaca com maior evidência, criando uma sonoridade e um fraseado absolutamente oposto ao de Coleman Hawkins. Ao som encorpado, complexo e assustador de Hawkins, Lester oferta uma sonoridade etérea, suave, sedutora e, por isso, é considerado o pai do estilo cool. Quase abolindo os pesados vibratos e arpegios a la Hawkins, Lester dá graça linear ao swing, provando que o jazz feito de forma delicada pode ser tão excitante quanto o feito de forma violenta. Quanto aos demais músicos de Basie - não poderemos falar sobre todos eles aqui - basta saber que fizeram muitas das melhores gravações de jazz existentes, quer em formato de big bands, quer no formato de combos, denominados de Kansas City Five, Six ou Seven, de acordo com o número de componentes. Como amostra generosa dessa grande figura do jazz, deixamos no Cinema Jazzseen - acima, à direita - uma faixa de Count Basie com Wardell Gray (ts), Buddy de Franco (cl), Clark Terry (t), Freddie Green (g), Jimmy Lewis (b) e Gus Johnson (d). Count Basie morreu em 1984..

5 comentários:

augusto carlos disse...

Benny Goodman era excelente mas Basie foi um mestre. Ele merece uma resenha dessas.

Internauta véia disse...

Não consegui carregar o vídeo... será que houve algum problema?

Salsa disse...

Parece a rapaziada que vai ao Don Oleari e ao Balacobaco. Bom demais! sem sacanagem: eis o jazz!!!

John Lester disse...

Prezada Internauta Véia, por aqui tudo corre tranquilo: as músicas e vpideos passam numa boa. Tente "atualizar" sua página, ok?

Boa sorte!

adalberto disse...

Concordo: Basie foi 'o' mestre do swing.