15/12/2006

'Cos is friday


Dizem os entendidos em jazz que a sonoridade do trombone sofreu grande transformação durante a domínio do bebop. Poucos foram os trombonistas que adaptaram-se às exigências desse estilo, mas não sem sacrificar a sonoridade que prevalecia nos grupos de dixieland e mesmo nas orquestras do período dominado pelo swing. Nos últimos trinta anos, no entanto, mais especificamente a partir das loucuras do free jazz, os trombonistas voltaram a gargalhar com seus instrumentos - voltaram a usar aquele fantástico slide que me faz lembrar uma montanha russa. O disco que agora ouço - Regeneration - é de um desses caras que tentam mostrar todo o som que é possível tirar de um trombone: Roswell Rudd. O disco é uma homenagem a dois grandes compositores de jazz: Monk e Nichols (são três temas de cada - esse último, aliás, foi responsável pela inserção de Rudd no universo mais experimental). O trombonista conta com a participação de Steve Lacy e seu sax soprano (que alguns membros do clube das terças consideram execrável). Eu recomendo e deixarei duas faixas no Gramophone by Salsa.

4 comentários:

John Lester disse...

Esse disco é realmente excelente. Grande pedida Mr. Salsa.

Rogério disse...

Salsa: Friday the 13th & Skydoo fizeram festa em minha tarde. Foi fantasticamente coroada com esse jazz romântico. Roswell e sua turma são os cowboys da alegria.Roda mais depois.George Rusell, Sam Rivers, Illinois, tudo nota 10. Mariano está meio gueixa. Rolf Kuhn meio canastrão, europeu antipático mas, competente.Quero mais Rudd & Lacy.

Salsa disse...

Eu levo uma copia na terça.

Anônimo disse...

Um ano e alguns dias depois.O interessante e q a atividade q Rudd desenvolveu em paralelo à de musicista foi a de enfermeiro.Edú