06/12/2006

Crossroad Ahead II - The Mission

Continuemos com o papo dramático-existencial iniciado na minha última postagem. Saibam vocês, prezados navegantes, que, por mais que as coisas dêem certo em suas vidas, isso foi por puro acaso. A vida é um constante equívoco. O acerto é uma ilusão transitória. O fantástico disso é que a gente pode passar a vida inteira sem perceber que a vida está completamente manca... e morremos felizes. Mas às vezes acontece de o mundinho ruir, o chão se abrir sob seus pés, o céu despencar em suas cabeças, os espelhos estilhaçarem e as inevitáveis lágrimas encharcarem todos os lenços de papel e toalhas de suas casas. Aí dá uma preguiça f.d.p de limpar a sujeira, reconstruir paredes e sonhar sonhos quaisquer - e uma vontade danada de deitar em qualquer pedaço de chão e parar de pensar. Alguns saem por aí experimentando de tudo: já que nada é certo, nada é errado: mais vale a experiência. Um exemplo disso é o saxofonista Charlie Mariano. O camarada tem um percurso muito louco na esteira jazzística: tocou em bigband (Stan kenton), trafegou pela costa oeste ao lado de Shelly Manne e outros e, de repente, num dia qualquer, casou com a pianista japonesa Toshiko Akiyoshi e partiu para uma viagem por diversas formas de expressão jazzística moderna (principalmente depois que ele foi para a Índia e, dizem, tomou umas bebericagens transcendentalizantes para conversar com os deuses). Algumas de suas gravações mais atuais exigem bastante desprendimento do ouvinte (se você estiver numa fase "meu mundo caiu" aconselho ir devagar ao pote - pode rolar uma overdose e você corre o risco de se tornar um serial killer). Pro navegante menos chegado em coisas pesadas, pode experimentar o cd Autumn dreams, o qual ele divide com o pianista também pouco ortodoxo Mal Waldron. Deixarei duas faixas no Gramophone by Salsa para embalá-los nesse sublime momento em que a vida pode estar preparando alguma surpresa para vocês.

3 comentários:

Danilo disse...

Sr. Salsa, a versão de Cry me a river está boa (a linguagem tem nuances do pop contemporâneo). Greensleeves é um momento de bucólica alegria.

John Lester disse...

Gosto muito desse álbum.

Salsa disse...

Foi você que me indicou.