03/01/2007

Lester is Free!!!

Eu soube, via site do NYCPD, que durante o reveillon, num festejado clube de jazz de Nova Iorque, rolou o maior barraco por conta de um cliente que se emputeceu com a performance pífia do trompetista encarregado de abrilhantar a festiva noite. A minha preocupação se desfez quando constatei que não foi o nosso Lester, que, acima e antes de tudo, é um gentleman. A sua verve experimentalista e sensatamente crítica jamais permitiria que ele perdesse a fleuma diante de apresentações tecnicamente duvidosas. E, em sua homenagem, e para desespero do Garibaldi, nesta que é a terceira do ano, apresentaremos o novo trabalho daquele que efetivamente foi um dos responsáveis pelas alterações nos caminhos do jazz: Ornette Coleman. O seu novo disco, Sound grammar, foi recebido com alvoroço pelo meio musical. Depois de um longo intervalo, Ornete juntou um povo e fez mais um disco que, para os críticos, reacende a fogueira da criatividade no campo jazzístico. Gostaria de lembrar também o seu antológico e premonitório disco The shape of jazz to come, de 1959. Este é muito mais comedido e Coleman, segundo Garibaldi, ainda demonstra sinais de sanidade, mas já revela traços da nova estrututa das composições que tomaram de assalto o jazz dos anos sessenta do século passado. Deixarei uma faixa de cada disco ali no Gramophone by Salsa para a apreciação dos novegantes.

6 comentários:

Danilo disse...

Olá, Salsa,
Eu achei o novo disco de Coleman tranqüilo. Ele não está com aquela sonoridade que se encontra no disco Free jazz, por exemplo. Acho até muito parecido com esse de 1959 que, pelo jeito, você deve ter percebido a semelhança. Os filhotes do free são mais insuportáveis do que o pai.

João Luiz disse...

Nas férias do sr. Lester, Salsa está trabalhando demais para dar conta do recado e ficando com o célebro "embolotado" , começando a dar espaço a esta porcariada de Ornette Coleman. Cuidado que o barraco pode rolar aqui e p'ra cima de voce mr.Salsa.

Salsa disse...

Ih, caramba,
Meu mestre João Luiz, não vá esquecer de tomar suas pílulas para pressão. Atenção: Eu disse pílulas e não pilhas.

Manuela disse...

Salsa: não consegui ouvir através do Gramophone by Salsa, será o meu micro?

e quanto à sugestão de pauta, que tal as mulheres do jazz atual?

Abraço

Salsa disse...

Prezada Manuela,
Às vezes pode demorar um tempinho pro gramophone funcionar - depende da sua conexão. Deixe-o ligado que logo, logo, a coisa rola.
Quanto às mulheres, aguarde que em breve pintará a nossa homenageada do mês.

John Lester disse...

John Lester está de volta. E não houve nada de terrível no show de Chris Botti no Blue Note de 31/12/06. O cara largou os imensos sacos de açúcar que costumam adornar seus álbuns e mandou ver num bebop de primeira. Tocou muito e a passagem de ano não poderia ter sido melhor. Em breve, resenha sobre a coisa toda.