07/01/2007

O clone

O meu amigo e jazzófilo Danilo presenteou-me com dois cds de um trompetista e falou: "repara como o som é semelhante ao de Miles". Ouvi e concordei (até fisicamente eles são parecidos). Fiquei, depois, imaginando o que se passa na cabeça de um músico quando ele é constantemente comparado com outro: "Wallace Roney? Ah, sei, é aquele que toca parecido com Miles Davis...". O que poderia ser um elogio acaba se tornando um estigma: o cara deve ficar puto ao ouvir esse tipo de comentário diariamente. Os discos, no entanto, são agradáveis. O primeiro, Munchin, é menos autoral, recheado por standards, e foi considerado um disco mediano pela crítica especializada (recebeu três estrelas). Acho eu que discos com essa proposta permitem-nos vislumbrar a potencialidade do músico - executar temas conhecidos é uma tarefa arriscada. E Wallace inicia justamente com um tema de Miles: Solar. É pedir para ser comparado. A meu ver, ele não se sai mal. O sopro é claro, as notas são precisas e o fraseado é convincente. Se o disco não traz nenhuma novidade estilística, pelo menos nos mostra bons músicos em performances convincentes. O segundo, The quintet, foi mais festejado pela crítica, creio que por ser um disco autoral. Nele, Wallace se arrisca mais e anuncia que tem algo além da semelhança com Miles para mostrar aos apreciadores de jazz. Deixarei, como sempre, alguma coisa no Gramophone by Salsa. Enjoy it.

8 comentários:

Danilo disse...

Grande Salsa,
Fico feliz por você ter apreciado os discos. Depois eu quero te mostrar outros que eu comprei em minhas vacâncias além mar.

Velhinho maconheiro de copacabana disse...

O Wallace tem bom sopro e boa técnica, mas, admito, eu prefiro o Miles. O estigma o perseguirá até o fim dos tempos.

Guzz disse...

Miles é Miles ...
Wallace Roney esteve por aqui, tive a oportunidade de vê-lo ao vivo. Seu som tem alguma coisa de Miles, mas das últimas gerações de trompetistas todos herdaram alguma coisa, não vale a comparação.

João Luiz disse...

Miles era um músico de 5a.categoria que foi endeusado pelos criticos e a patuleia foi na onda. Wallace Roney está 1000 furos acima.

Salsa disse...

Não provoca, João. Eu sei que você tem a obra completa de Miles e escuta toda noite antes de dormir.

olney disse...

Mas eu tb acho que o Miles não é assim "incomparável"; ele foi inovador, teve muita projeção, mas existem outros ótimos trompetistas(como é o caso) que só não tiveram tanta "badalação". E "influências" todo músico tem, não é?

manuela disse...

Alguém aí leu "Viva Bird! - Assassinato em Tempo de Jazz" de Bill Moody?

Salsa disse...

Concordo contigo, Olney,