22/01/2007

A unidade de Larry Young



Os amigos têm me criticado só porque eu disse que não gosto do som do órgão. Faço, hoje, uma ressalva: eu não gosto do jeito dramático que alguns organistas executam as peças. Às vezes acontece com alguns músicos o destempero de deixar todo o peso das mãos caírem sobre o teclado e, conseqüentemente, produzir um som semelhante a um monte de gansos histéricos no cio. Mas isso não é uma regra geral (eu até elogiei um organista francês - Ediss), agora mesmo eu estou ouvindo o último presente recebido: o disco Unity, de Larry Young. Apesar das minhas reticências, confesso que o som rola bem e sem ataques histéricos. O grupo é estelar e produz um som que merece uma conferida. O camarada conta com a companhia de Joe Henderson, Woody Shaw e Elvin Jones que, de fato, dão uma grande contribuição para a unidade do disco. A faixa que eu mais gostei foi If, uma composição de Henderson. Está logo ali no Gramophone by Salsa para vossa apreciação.

8 comentários:

João Luiz disse...

Sr. Salsa: primeiramente o nome do organista frances é Eddy Louiss, alias de boa tecnica e de toque sutil e suave: segundamente aguentar Larry Young com Joe Henderson e Elvin Jones é dose p'ra leão.

Salsa disse...

Prefixo+sufixo=Ediss, para os íntimos. E deixa de ser chato, porque o som está bacana. Ouça.

Garibaldi disse...

organista+elvin jones= coquetel mortal para Reinaldo e joão. Esse eu não bebo nem morto!

Salsa disse...

ô, intransigência, sô!

oreia seka disse...

São momentos assim que nos fazem desesperar... Salsa, please, tira esse som horrível daí!!!

velhinho "ex-fumante" de copacabana disse...

O senso estético dos visitantes acima é, realmente, controverso. A música é muito boa. Os solos de Henderson, shaw e Young fazem jus ao jazz.

olneyfig disse...

É, esse pessoal quer mesmo é infernizar o Salsa; o som está muito bom!!!

John Lester disse...

Em apoio a Mr. Salsa, deixo a faixa The Thrill Is Gone, com o organista Larry Goldings.