06/08/2007

Rei Arturo

Quando Gillespie descobriu o Caribe, mais do que ritmos, ele encontrou bons instrumentistas. Um deles é o trompetista Arturo Sandoval. Formado pela excelente escola cubana, Arturo consegue impor sua peculiar luz em quaisquer temas. Como um Midas, ele transforma tudo em ouro. O astro latino já teve a sua vida retrada em um daqueles filmes roliudianos que descem o malho na miséria cubana.
O Allmusic destaca: "A blazing, technically flawless trumpeter from Cuba, Arturo Sandoval has been dazzling audiences all over the world with his supercharged tone and bop-flavored flurries way up in the trumpet's highest register. In slower numbers, he sports a golden, mellow tone on the flügelhorn, marked with a sure, subtle sense of swing. Apparently he is capable of playing anything, proving it more than once by tackling classical repertoire as well as jazz in the same concert, and he has enough curiosity to search far beyond his Cubop base for repertory. Yet he often lets his desire to please the crowd with high-note displays get in the way of musical values, and he has yet to make a great record that can stand with those trumpet giants that have preceded him."


Ouço agora o cd Dream come true, lançado pelo selo GRP. O encarregado da batuta foi Michel Legrand, que cuidou da orquestração. Para os amigos navegantes deixarei a faixa Naima. Password? jazzseen.

10 comentários:

John Lester disse...

Esse negócio de conga é com o Reinaldo!

Salsa disse...

Esqueci de salientar esse fato. Aliás, a postagem é uma homenagem ao nosso querido presidente.

F.Achiamé disse...

Mr. Salsa, vá se esforçando na sua versão do Lullaby que logo ela fica melhor que o seu booksonthe table à la Chet Baker.
Me aventurei de novo a ouvir uma música no blog, e dessa vez deu certo!
Valeu Mr. Salsa, o Arturo Sandoval alisa os sentimentos da gente com sua surdina, mas confesso que saber ser o arranjo do Legrand ajuda muito.

JoFlavio disse...

Mr. Salsa.
Apenas como curiosidade, o Sr. Arturo gravou em 2001 pela Crescent Moon um CD chamado "My Passion For The Piano", em formação de quinteto, onde ele toca piano. Nem levou o trumpete para o estúdio. O disco não teve boas cotações (@@1/2 AMG), mas mostra um outro lado, menos competente talvez, desse músico cubano.

João Luiz disse...

Como trumpetista Arturo Sandoval só gravou até hoje um disco aceitável na linha jazzística: "I Remember Clifford", um tributo a Clifford Brown. Apesar de algumas faixas com a utilização do abominável recurso de "overdub" ,agrada como um todo. Inegavelmente é um músico competente, mas sua discografia é calcada em trilhas com rítimos latinos, com farta utilização de congas, bongôs, chucalhos, etc..., muito próprios de sua formação musical em Cuba. Jazz ??????

internauta vèia disse...

Agora está ótimo, o contraste ficou melhor! Deixa assim, lester e salsa!

giancarlo disse...

De fato, agora a leitura ficou mais agradável.

Salsa disse...

Graaaaaande Lester, nosso webdesigner.

Rogério Coimbra disse...

É bom ver(ouvir) Naima perene, uma autêntica balada de amor do mestre Coltrane. Valeria até como trilha de novela. Naima, eterna, sublime.

Anônimo disse...

O piano e seu segundo instrumento, apesar das cotações é um disco,no minímo,interessante.Nascido em Cuba como ele naõ carregariaa influência da música local?Inclusive ,tendo sido,professor no conservatório de Havana.Não existe o AfroCuban Jazz?A estória de sua deserção esta registrada num filme da HBO com o Andy Garcia.Salvo engano chama-se Arturo Sandoval Story.Assisti a uma apresentação sua em Campos do Jordão,tocando temas eruditos e depois dois temas jazzistícos e o considerei apenas como músico de grande técnica.
Porém,elencando seus sucessores Dizzy Gillespie, um dos maiores incentivadores de sua fuga, colocou Jon Faddis e ele como seus eleitos.Edú