10/10/2007

Jazz pesado

Ontem, terça-feira, 09/10, tivemos mais uma noitada etílica-gastronômica-jazzista no Balacobaco. Flávio, o dono do pedaço, estava comemorando o fato de ter subido o pódio pelo terceiro ano consecutivo, no concurso Roda de Boteco. O tira-gosto premiado foi o "come-quieto", iguaria feita à base de tutu recheado com bacon, lingüiça e demais guloseimas condenadas pelos cardiologistas mas adoradas pelo povo.
O Plus jazz quartet, adepto do heavy-fat-bop, tentando mudar de estilo, aderiu a radical regime (quatro gotas de adoçante nas refeições - se derem um zoom, poderão ver o jantar ao lado do guardanapo), mas o resultado tem sido questionável (como vocês podem observar na foto).

Salsa, saxofonista e magrelo do grupo, por ter conseguido manter-se na faixa dos cento e um, cento e dois quilos, como reconhecimento pelo esforço, recebeu das mãos do proprietário da casa uma amostra do petisco da noite.

15 comentários:

Anônimo disse...

E o chamado grupo da pesada.Edú(sem tempo).

John Lester disse...

Gente da pesada, som da pesada. Terça que vem queremos mais!

Rafael disse...

"É nóis" Mr. Salsa...

Sexta-Feira tem Café Touché!

Abraço!

The Drumma!

césar disse...

Estaremos lá!

sergio disse...

Meninos, eu ouvi! Não é de todo jazz, certo? Mas, façam como fiz: ouçam primeiro. Atentem para “You Can't Judge A Book By It's Cover” depois comecem essa discussão – sem mim.

Aqui vai parte do texto:

“Porque na história da música em geral ainda rezam alguns feitos de outrora, haverá poucas figuras históricas hoje em dia que necessitarão de grandes introduções formais. Spanky Wilson ainda é uma lenda viva, ainda inspira novas gerações e ainda é capaz de contribuir para o aperfeiçoamento de alguma música produzida actualmente. Ela colaborou com alguns dos mais importantes nomes ligados à soul, jazz e blues dos anos 60 e 70 e a sua presença ao lado de digníssimos como Marvin Gaye, Sammy Davis Jr., Lalo Schifrin, Jimmy Smith, The Duke Ellington Orchestra, Pretty Purdie ou Willie Bobo não passaram despercebidos aos anais da história e, mesmo vivendo hoje em dia uma vida recatada em Paris e admitindo que o seu tempo já lá vai, ainda entusiasma uma série de jovens músicos, produtores e DJ que, fartos da programação do sampler, passaram a olhar para os clássicos de outra forma e a erguer a sua música com outra dinâmica. É o caso evidente do Sr. Will 'Quantic' Holland que não esconde – nem nunca escondeu – as suas referências, ou heróis de adolescente, nomeadamente Spanky Wilson." (...)

E no link com o texto completo como verão, lá estará o álbum completo e a mão. Os terminantemente contra a prática ilegal... Legal. Pesquisem na internet só, depois consultem a opinião dos fora-da-lei amigos que baixaram e dêem o exemplo, comprem o disco. Como cansei de repetir, é o que faria, se me sobrasse larjã. Aliás, por falar nisso, será que não poderia perceber uma comissãozinha pela boa dica e, quiçá, futura venda, executivos de majors? Tudo bem! Calma! Perguntar não ofende... Mas no link abaixo vai toda a história com albinho di grátis no pacote. Porém, mesmo sabendo que de boas intenções o inferno anda fazendo água, me sentindo parte da comunidade Jazzseen, não poderia deixar de dividir a descoberta com os amigos.

http://musikology.blogspot.com/2006/12/spanky-wilson-quantic-soul-orchestra.html

Salsa disse...

PS _ Deixei uma faixa do Budd johnson (lp four brass giants) no mpbjazz.blogspot.com

John Lester disse...

Obrigado Sérgio.

sergio disse...

http://rs87.rapidshare.com/files/52064951/spanky_wilson__the_quantic_soul_orchestra_-_im_thankful_2006.zip

Salsa e Lester, reconheço q falo muito - e escrevo mais ainda - mas dêem crédito a essa descoberta. O endereço acima é onde se pode baixar o álbum. Tenho que escrever mais pra explicar. Hoje me ligou um amigo alarmista dizendo que estão apagando todos os blogs de baixar música etc, etc... Vcs conhecem os alarmistas, né? Falam mais q nós 3 juntos. O fato é que fui conferir se onde baixara o álbum da Spanky Wilson e, realmente o link estava desativado. Normal. Acontece q já havia visto o mesmo álbum noutro endereço. Este aí de cima é válido e vero. Escutem essa mulher com essa tal de Quantic Orchestra. É papa finíssima!

Anônimo disse...

Prezados Lester e Salsa, acabei de mandar uma coisa pra vcs e postei no "Jazz em São Paulo".Esta ainda bem "hot news".Bom feriado.Edú

M.C.C disse...

Sérgio,
Vamos publicar o comentário, sem sua autorização, no mpbjazz.blogspot.com

Anônimo disse...

Estive lá comi o "Comi Queto" muito bom o petisco, deve ser coisa de mineiro uai!. Mas a música estava pra lá de bôa.....mui feras. Um abraço aos "Plus Jazz Quartet"
Osvaldo

João Luiz disse...

Marquei presença na terça, com meu amigo Ahmed. Música boa, comida e bebida idem, idem. Me impressionou não só o som da pesada, mas o grupo também. Salsa com seus 120 kg. era o magro do grupo, pois os outros participantes tinham seguramente mais de 180 kg., cada um. Regime alimentar neles, ou então sugiro a mudança de nome do grupo para "FAT'S JAZZ QUARTET".

Daniel disse...

O plus tem a ver com isso. Ou não?

Salsa disse...

E aí, João, gostou do Zoot Sims?

João Luiz disse...

Valeu Salsa, tanto o Zoot Sims como o Dizzy Reece são verdadeiras jóias. Grato.