20/01/2008

A sacabuxa de Bill Watrous

Aproveitando a deixa de Mr. Scardua, aproveito para ouvir hoje o álbum Bill Watrous Quartet Live at The Blue Note, gravado em 30 de março de 1998 e lançado pelo selo Half Note em 2000. Embora tenha recebido algumas lições de trombone do pai em Connecticut, onde nasceu em 1939, Bill é essencialmente um autodidata, daí minha simpatia gratuita pelo trombonista. O autodidatismo, acredito nisso, traz em si uma espécie de espontaneidade raramente encontrada em músicos com formação clássica tradicional que se aventuram pela seara do jazz. Bill começou tocando aqui e ali, em pequenas bandas, até que, depois de estudar com Herbie Nichols, passou a dedicar-se exclusivamente à música, trabalhando com Billy Butterfield, Kai Winding, Maynard Ferguson e Woddy Herman nas décadas de 50' e 60'. Na década seguinte ocupa-se como músico de estúdio, em New York, além de se apresentar em clubes e gravar alguns excelentes álbuns como líder, todos numa linguagem que podemos catalogar como neobop. Em meados dos anos 70' chega a formar sua big band, a Manhattan Wildlife Refuge Big Band, integrada por músicos do naipe de Wayne Andre (tb), Danny Stiles (t) e Dick Hyman (p). Partindo para Los Angeles, prossegue com seu trabalho em estúdios, passando também a lecionar. Após uma turnê pela Europa, forma na década de 80' o Trombone Summit, com Kai Winding e Albert Mangelsdorff, o genial trombonista alemão. Dono de uma abordagem totalmente pessoal, Bill consegue aliar sua formidável técnica aos modernos reclames do jazz contemporâneo, sem jamais esquecer as origens e a contribuição dos mestres de seu instrumento. Para os amigos, deixo a faixa Blue Monk, com Derek Smith (p), Russell George (b) e Joe Ascione (d). Hasta Luego!

6 comentários:

Anônimo disse...

Bill Watrous ,por sua competência, é o primeiro trombone do cd “Spirit of the Horn”, onde treze trombonistas agrupados com o nome de “World of Trombones” , em combinação com uma base rítmica (p/b/bat), tocam em uníssono sob a liderança do também trombonista Slide Hampton.Uma parte do disco é dedicado a execução de suítes temáticas homenageando: John Coltrane,Herbie Hancock,J.J.Johnson. O restante são temas do próprio Hampton.Edú

abílio disse...

Ei, Edú, você andava sumido amigo. Bom te ver por aqui de novo!

Anônimo disse...

Obrigado,Abílio.Boa semana.Edú

augusto carlos disse...

Gostei do som, valeu Fred.

alberto disse...

Que beleza hein!

Danilo Toli disse...

Que bom encontrar seu blog, adorei.