25/06/2008

Jazz Discography

Já tivemos oportunidade aqui no Jazzseen de falar sobre alguns bons sites que fornecem informações sobre discografias de jazz. Entre eles podemos citar o Jazz Discography e o Jazz Discography Project. Mas se você é do tipo completista, sempre insatisfeito com os incompletos guias e enciclopédias de jazz disponíveis no mercado, talvez encontre a solução de seus problemas com a The Jazz Discography de Tom Lord. Resultado de um extenuante trabalho desenvolvido através de vários anos, a discografia de Tom Lord é sem dúvida a mais completa disponível em papel, num total de 34 volumes. Sim, um projeto e tanto o de Tom. E embora alguns volumes estejam fora de catálogo, a maioria deles ainda pode ser comprada na Cadence Building e os volumes mais atuais são vendidos no próprio site de Lord. Agora o melhor: a coisa toda está disponível em cd-rom, com mais de 180.000 sessões de gravação e mais de 1.000.000 de músicos. Além disso, o cd-rom apresenta uma descrição minuciosa de todas as gravações realizadas por mais de 34.000 líderes do jazz, onde constam datas, locais, músicas gravadas, músicos acompanhantes e muito mais. Se considerarmos a magnitude do projeto e o volume de informações (que podem ser atualizadas on line) o custo de US$350.00 não parece tão salgado. Recomendo aos amigos navegantes.

11 comentários:

John Lester disse...

Obrigado pela dica Roberto.

Grande abraço, JL.

dalmácio disse...

Quanto tempo a gente leva pra ler isso Roberto?

Internauta véia disse...

Exatamente o que eu pensei! Quanto tempo?
É um material fabuloso, na medida para apaixonados e pesquisadores do Jazz...
Sei de gente que deve ficar feliz como pinto no lixo...

augusto carlos disse...

Um insano e belíssimo trabalho de pesquisa discográfica comparado ao lixo. E nós? Somos os pintos? Como diria Shakespeare: a cada um o que melhor lhe aprouver.

Internauta véia disse...

É, depois que publiquei o comentário, senti que não ficou legal, mas é claro que não comparei o maravilhoso trabalho ao lixo!( imagine!!! ), não adianta querer explicar...Peço desculpas por não ter sabido me expressar.

Salsa disse...

A expressão é conhecida. Não tem nada de depreciativo - refere-se à alegria de estar fazendo o que gosta (com bastante opções). Agradeceria uma cópia do lixão.

internauta véia disse...

Salsa, vc. não decepciona...Não insisti pq., quem não entendeu, não valeria a pena explicar...mas é exatamente isso o q. queria dizer!

daniel disse...

Quem me dera poder chafurdar em tal latifúndio...

João Luiz disse...

Trinta e quatro volumes, 28.000.000de discos, 7.560.800 músicos, 34.000.000 lideres de jazz, 180.500.000 sessões de gravações. Não aguento isso, já me basta Gumercindo.

Danilo Toli disse...

Espantosa discografia. Comprarei meu cd-rom imediatamente.

Anônimo disse...

Será que tem o dedo do Lester nesse projeto,também?Boa chance de economizar espaço nas estantes(os guias de jazz se traduzem em mais de 35 kg de papel nas minhas quinquilharias).Janine vai gostar disso, só não precisa saber o preço da alternativa.Edú