01/07/2008

Em Vitória, não!

Era de se esperar: Vitória, capital do ES, não receberá Sonny Rollins. Não me refiro, claro, a uma visita fortuita, mas a apresentações - no TIM Festival - do mais importante saxofonista vivo, que, segundo informações, vai dar as caras apenas em SP (dois shows) e no RJ. É lamentável. Em 1985, fui ao já inexistente Free Jazz Festival, e pude assistir, de cadeira consideravelmente distante, àquilo que considerei a essência do jazz: Sonny Rollins e seu sopro musculoso, a melodia levada a conseqüências últimas, uma sonoridade inequívoca (e muito pessoal) e sem rivais em sua época. Mas o grande show, à vera - e gratuito -, foi no espaço do Parque da Catacumba, com direito a uma paisagem digna dos árcades: do mirante se podia (acredito que ainda se possa) ver o Morro Dois Irmãos, a Lagoa Rodrigo de Freitas, o Cristo, a Pedra da Gávea. Aplaudi como um energúmeno. Certo, certo: o TIM Festival não é um evento jazzístico - pelo menos não essencialmente. Bebel Gilberto, Amy Winehouse, Björk & outras criaturas não me dizem muita coisa, mas o saxofonista Joe Lovano (a cuja apresentação não assisti) e o pianista Herbie Hancock já tocaram por aqui. Este último - veja só! - foi menos aplaudido que o violonista careteiro Yamandú Costa. Só em Vitória. Fico imaginando (uma irônica e impossível hipótese) Sonny Rollins apresentando-se após uma banda local - Casaca, por exemplo - e sendo menos ovacionado. Por esse motivo ele não vem? Só em Vitória, mesmo.
Para quem não conhece: clique aqui, aqui ou aqui. Leia mais aqui sobre o Tim 2008.

6 comentários:

John Lester disse...

Bem observado Mr. Grijó.

Grande abraço, JL.

Bastos disse...

Lamentável...

Sergio disse...

Saudosa Catacumba...........

PREDADOR.- disse...

Embora não seja um dos músicos de minha preferência, respeito Sonny Rollins pela sua grande contribuição ao jazz, com algumas "fases" de altos e baixos mas, mesmo assim, um senhor tenorista. É até bom que ele não venha a Vitória. Iria se misturar com uma mediocridade de músicos que vem por aí, em um festival que não terá nada de jazz e, talvez passaria despercebido, pela maioria do público(que irá frequentar esse "festivalzinho da tim"), ou por ignorância ou por desconhecimento total do que é jazz. E tenho dito mr.Grijó

Dagema Pinto disse...

Onde fica Vitória?

internauta véia disse...

Lembrei do Festival do ano passado:enquanto eu saía da sala ( muito legal, por sinal ), do teatro da Ufes, por absolutamente não aguentar ouvir ( e ver!!!), o conjunto de forró que se apresentava, o mesmo foi estrondosamente ovacionado...E eu estava alí por causa do Paulo Moura e do Jazz...Vai entender...
O Jazzseen fez, à época, uma ótima resenha, que reli agora, onde relata o que aconteceu, com muito mais precisão , no estilo Mr. Lester.
Ainda bem que , depois do intervalo, tivemos Jazz de verdade, e Joe Lovano e seu noneto salvaram, com mérito, a noite!
Este ano, com certeza, não estarei la!