13/05/2006

A Condução Humana II: No More Blues

.
Chega de Saudade - Rec 1963 - Tom Jobim (p, g), Jimmy Cleveland (tb), Leo Wright (f), George Duvivier (b), Edison Machado (d) - Elenco ME09.

.

A condução humana não me parece tão aterradora quando a pinta Salsa, maestro do Clube das Terças. Da autoridade de meus agora completos 40 anos, posso dizer: a condução humana é a mulher. Somente ela nos faz prosseguir, nos move em direção a algum lugar, somente por ela vale a pena continuar. Todo o ódio, toda a solidão, todo o egoísmo, toda falta de perspectiva que nos domina, a nós, pobres homens, é pela ausência ou atraso da feminina condução humana. Pode ser mãe, amante, esposa, prostituta, empregada doméstica, engenheira ou poetisa. São elas a carruagem da humanidade e, por isso mesmo, por serem as donas dos veículos e dos mapas, passeiam no mundo com maior amplitude, com maior sutileza, calma e beleza. Destroem menos, arrecadam menos, acumulam menos. Não aceleram, não freiam. Como diria Nietzsche: são espíritos livres. Nós homens ficamos apenas aguardando nos pontos de ônibus, nos cais dos portos, abandonados nas estações esquecidas dos trens. Todos, e cada um, querendo possuir aquela mulher ou, sem outra saída, tentando transformar-se nela. Não há saída para os homens: ou as consumimos ou tentamos nos transformar em simulacros da condução humana. E nunca acertamos o ponto do motor. E, no fim, cantamos com o poeta: Vai minha tristeza e diz a ela que sem ela não pode ser. Diz-lhe numa prece que ela regresse porque eu não posso mais sofrer. Chega de saudade, a realidade é que sem ela não há paz, não há beleza, é só tristeza e a melancolia que não sai de mim, não sai de mim, não sai ... E elas, mesmo sabendo que quase sempre mentimos, retornam. No more blues.
.

Fantasia - Rec 1992 - Eliane Elias (p), Eddie Gomez, Marc Johnson (b), Jack DeJohnette, Peter Erskine (d), Nana Vasconcelos (perc).

.

Esta resenha é dicada à Marisa, minha mãe.



3 comentários:

jazzigo disse...

mandou bem, meu caro.

Salsa disse...

Antes que me esqueça: quando sairá o próximo capítulo do livro?

John Lester disse...

Prezado Salsa, o único capaz de suavizar a condição humana quando a pinta: conforme disse, e conforme permite minha capacidade de escrever, o livro sairá em capítulos mensais. Eu sei, é triste. Mas não sou nenhum Reinaldo Santos Neves ...