22/06/2006

Humming-bird

A sugestão de João Pedro, na postagem anterior, de incluir Eddie Daniels (parente do Jack?) como trilha sonora para o mundo cão, trouxe-me a lembrança de um disco desse clarinetista que eu apreciei e, agora re-ouvindo, continuo a apreciar: To Bird, with love. Acompanhado por Fred Hersch (p), John Patitucci (b) e Al Foster (d), Daniels nos legou um disco digno da tradição consolidada por Benny Goodman. A sonoridade do clarinete é algo que merece um destaque especial e, quando executando um tema em up tempo, vem-me a imagem de um beija-flor pairando no ar: delicadeza e força impressionantes. Gosto de tudo nesse disco, mas gostaria de destacar o tema This is the time, sua criação a partir de Now's the time. O nosso clarinetista faz uma paráfrase do tema de Charlie Parker alterando as frases (soa como se estivesse tocando de trás pra frente) e a harmonização (mais moderna) propiciando um divertido momento. Aliás, o disco é recheado de citações do Bebop (as frases de Daniels são claras referências ao mestre Bird). Deixarei essa faixa no meu gramophone para o navegante conferir.

9 comentários:

João Pedro disse...

Gostaria de ouvir Bird Medley, a nona faixa.

Rogério Coimbra. disse...

Eddie Daniels é daqueles músicos fantasticamente competentes, completos, sem modismos. Sua atuação na Thad Jones-Mel Lewis Band é inacreditável. Boa lembrança essa do Eddie Daniels. Vai soprar bem assim lá no bar Pitanga de Campo Grande.

john lester disse...

Enfim Salsa traz algo além de Sonny Rollins & Cia. Gostei da dica (não conhecia e vou ouvir com cuidado).

Salsa disse...

Tenho quatro: Nepenthe, Breakthrough, First prize e o comentado. Se quiseres, depois eu arranjo a cópia. Mande ofício em três vias carimbadas.

Vinícius disse...

nunca tinha ouvido falar: achei bacana o som.

Salsa disse...

sapecarei a nona faixa.

Garibaldi Magalhães disse...

Ah que saudades que eu tenho do cd Breakthrough, de que me desfiz já nem lembro por quê. Talvez por causa das faixas eruditas intrusas no meio das jazzísticas. Radical, eu? Não: eu sou é fundamentalista.
Mas sobrou na minha cedeteca aquele Benny Rides Again, de Eddie Daniels com Gary Burton, que não é de todo ruim.

Cretino, de Creta disse...

Garibaldi, você guardou um bom disco- não seja enjoado..." não é de todo ruim..."

Bornay disse...

O que realmente lembra um beija-flor são esses comentários nada heterodoxos. Ai, ai.