21/07/2006

Mingus, Mingus, Mingus


Seguirei a trilha das minhas postagens anteriores: impressões autobiográficas com trilha sonora. Se houve um tipo de som que me levou a apreciar o Rock'n'roll foi o tal do Blues, se há um som que me cativa no Jazz é o proporcionado pelas escalas blues. E foi esse som que, um dia, em meados dos anos setenta, um vizinho ouvia com todos os decibéis que tinha direito. Era um som arrastado e sombrio que invadiu todo o prédio e, levado pela sua irresistível força, fui bater à porta do camarada para saber do que se tratava. Era Jeff Beck, o guitarrista inglês, interpretando Goodbye pork pie hat. Algum tempo depois ouvi a mesma música cantada por Joni Mitchell, que gravara um disco em homenagem a Mingus (acompanhada por Pastorius, Metheny e toda aquela cambada que vivia junta à época) e só então descobri que o tema era de Charles Mingus. Providenciei as versões citadas do tema de Mingus e mais três peças do genial baixista para arrebentar a rede (lá no Gramophone by salsa). Peço a ajuda da nossa enciclopédia ambulante, Mr. John Lester, para, por favor, providenciar aquela justa homenagem a essa figura que sabia como ninguém como construir um belo blues.

4 comentários:

John Lester disse...

Prezado Mr. Salsa, nosso setor de pesquisas bibliográficas está em reforma. Em breve retornamos e, promessa, falamos sobre Mingus.

Zeca Pastor disse...

Joni Mitchell estava fazendo um trabalho com Mingus. Parece que já tinham gravado alguma coisa, mas os tapes desapareceram (ouvi essa história).

orlloff disse...

Mingus, o mestre da bass viol.

Bota mais Mingus nesse blog, please.

purinha disse...

Ainda acho que o jazz fica melhor sem o rock. Mas...