05/10/2006

Monk's dream



Um homem de bem não deve aceitar provocações, mas insinuar que eu bebo Skol lemmon (que diabo é isso? só pode ser um tipo de xingamento) é demais, é chamar pra briga. Caso aquilo seja uma cerveja, devo dizer que a única cerveja que atualmente povoa a minha geladeira é Brother Thelonious - uma belga especialíssima que guardo só para mim. O máximo que eu posso fazer por vocês navegantes é deixar uma faixa do louco-mor do universo jazzístico: o meu, o seu, o nosso Monk, ali no Gramophone by Salsa. Essa é pra vocês sonharem com a cerveja: Monk's dream, do disco de mesmo nome.
Em tempo: Mr Lester está nos devendo um bem elaborado texto sobre esse genial pianista.
Pros gringos:
Jazz? Il suffit de cliquer sur Gramophone by Salsa à côté pour écouter tous les thèmes sélectionnés par Salsa.
Jazz? Just click on Gramophone by Salsa to listen to jazz selections made by me.

4 comentários:

John Lester disse...

Não foi só eu que já viu Mr. Salsa bater no balcão e pedir: sai uma Skol aí mermão! Lemon, please.

Reinaldo Santos Neves disse...

Lá pelo fim da remota década de 60 comprei no Rio meus dois primeiros lps importados. Um foi Trio 65, de Bill Evans; outro, esse mesmo Monk's Dream. Foram duas compras excelentes. O de Monk, seu primeiro álbum para a CBS, é um dos discos mais contagiantes do jazz, alegria pura. E, ouvindo a faixa título, percebo que (Art Blakey que me perdoe) o baterista ideal para Monk é esse que está aí, o bom e velho Frankie Dunlop: ativo, agitado, versátil e até meio tocando pelos cotovelos, mas, sei lá por que milagre, sem encher o saco do ouvinte.

Salsa disse...

Prezado Rei, foi você que abduziu a faixa do meu Gramophone?

Reinaldo Santos Neves disse...

Salsa, estou acima de qualquer suspeita, pois, se tenho o cd, pra que abduziria aquela faixa?

Isso é coisa de Achmed Achiamé.