17/11/2006

Agnostic brazilian jazz

.
A abstração jurídica de Estado, acompanhada de suas seqüelas necessárias como nação, território, povo, governo, bandeiras e hinos são grandes falácias idealistas. Não há o menor sentido em nada disso quando utilizamos essas noções para matar, dominar, escravizar, torturar. Se lembrarmos do que Fleury fez com Frei Tito, ficamos cada vez mais atraídos pela doutrina agnóstica, segundo a qual nada podemos afirmar sobre aquilo que não conhecemos. Quem conhece deus? Quem conhece o universo? Quem conhece a tortura? Creio que somente os loucos sabem o que são todas essas coisas estranhas, denominadas metafísicas pelos filósofos, sobre as quais nada conhecemos, embora muitos falastrões discorram horas a fio sobre tais temas, alguns mesmo enriquecendo com isso quando suficientemente habilidosos. Você, argonauta mais cético, pode não acreditar, mas há escritores que ganham milhões rascunhando interminavelmente acerca de bruxas e duendes. É sério. Quanto de nossa alma é brasileira e quanto dela é cidadã do mundo? Quanto de nós é apátrida? Lembrando do bom Huxley, eu me pergunto: o que é brazilian jazz? Seria o que Kenny Drew (p) e Niels Pedersen (b) fazem com Wave no Brazil Jazzseen? Decida você mesmo amigo argonauta. É logo ali na seção + jazz (acima, à direita). A propósito: adoro escrever deus com inicial minúscula. Isso certamente me levará ao inferno. Mas, que diabos é o inferno? Eu só espero, como bom agnóstico, que haja Jazz por lá.

11 comentários:

astronauta anonimo disse...

Fique certo sr Lester que no inferno não tem jazz, e o diabo estará te esperando com o piçorão na mão.

olney disse...

Ih!! Hoje o Lester tá com a "macaca"....ahahahahah!

Salsa disse...

Prezado Lester,
Gostei do lance. Por que não mostrar o agnostic brazilian jazz numa sessão esporádica meio que de vez em quando? A gente pode se alternar nisso e postar músicas nos respectivos gramophones. Sugiro que, na próxima, você sapeque o Tico-tico no fubá by Charlie Parker.

Belinha disse...

Piçorão??? Que qué isso, minha gente!!!

Belinha disse...

Já passaram das 10000 visitas,que beleza!
Parabéns, Jazzseen!

Salsa disse...

Dizem que no inferno só se ouve Kenny G

John Lester disse...

Sei lá... Acho que Keny G, Duke Ellington e Dizzy Gillespie estão mais para ceú. Prefiro o inferno: tenho certeza que lá encontrarei Jelly Roll Morton, Lester Young, Charlie Parker e John Coltrane.

Mas, quem morrer verá.

abramo luz - sc disse...

O que esperar de um idiota que ouve jazz? Pessoas com vc já deveriam estar lá onde Deus deposita os infiéis.

Fugêncio da Cruz disse...

Levantem as pontes!!! Os fundamentalistas estão chegando!!!

Anônimo disse...

"Quem conhece deus? Quem conhece o universo? Quem conhece a tortura? Creio que somente os loucos sabem o que são todas essas coisas estranhas"

termina aqui a minha viagem por este site, porque descobri que o moderador deste sítio não é louco.

"Porque Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias"

John Lester disse...

Prezado anônimo, não fique assim. Seja otimista: as coisas ainda podem piorar muito.

JL.