18/11/2006

Post-bopper: Greg Osby

Pois cá estamos nós, ultrapassada a barreira das dez mil visitas. Há um dito circulando na web segundo o qual quem consegue esse número de visitantes, não pára antes dos cem mil e, chegando aos cem mil, não pára antes do milhão, e por aí a fora. Como nesse momento sinto-me rejuvenescido, continuarei falando do povo pós-bop. Estou a ouvir o jovem (pelo menos mais jovem do que eu) mr. Greg Osby. Conhecem? Eu não conhecia, mal informado que sou. Soube dele através da já surrada edição do livro de Karan que Reinaldo esqueceu comigo. O camarada é de St Louis (61) e, segundo Karan, está entre os melhores altistas da sua geração (ao lado de Steve Coleman e Kenny Garrett - não conhecem? Já falamos deles aqui no blog) se é que isso pode significar alguma coisa para vocês. Dizem que ele andou fazendo experiências sonoras com o Rap e o Hip Hop (não cheguei a ouvir). Os dois discos que eu possuo apresentam-no com um sopro seguro e, apesar das composições estruturalmente modernas, com o pé fincado no terreno fecundado pelos velhos mestres do saxofone. Uma das gravações é em parceria com o também jovem pianista Marc Copland (que merecerá comentário sobre seu trabalho em outra oportunidade) e mantém um clima mais introspectivo. Para mim, essa é uma das formações que mais exige dos músicos, e eles dão conta do recado. O outro - Channel Three - é um trio sem piano (sax, baixo e bateria - o serviço pesado recai sobre o baixista e o baterista que têm que se virar para segurar a harmonia e o ritmo de modo consistente e sem deixar furos excessivos). Essa formação agrada alguns selvagens do saxofone como o velho e impiedoso Sonny Rollins. Nesse cd o som é mais arrepiante: eles começam sapecando o tema Mob job, do aloprado Ornette Coleman. Mas não se assustem, o rapaz até que é comportado. Gostei especialmente do tema Miss Ann, no qual Osby solta uns pios com o sax soprano. Deixarei faixas desses cds no Gramophone by Salsa.

3 comentários:

John Lester disse...

Grande pedida. Eu só conhecia o álbum Art Forum, de 1996.

Moderno mas bastante degustável.

DANILO TORRES disse...

Bem obsevado: os temas são cerebrinos (sintam a melodia de Deed-lee-yah), mas ainda resta um pouco de paixão circulando na interpretaçÃO da dupla. Quem são o baixista e o baterista que tocam em Miss ann? Gostei deles.

Salsa disse...

Prezado Danilo,
Legal saber que você resolveu fazer uma visitinha. Ainda estou esperando o prometido cd. Vamos ao que interessa: O baterista é Jeff "Tain" Watts e o baixista é Matt Brewer.