06/11/2006

Pocando Gonsalves

.
Enquanto Mr. Salsa procura alguma gravação em duo com órgão e contrabaixo, preparando assim o terreno para o mês que vem – quando falaremos bastante sobre o acid jazz e adjacências – eu insisto em trazer um saxofonista bastante intrigante: Paul Gonsalves. Um gigante incontestável na orquestra de Duke Ellington, Paul parece menos convincente em quartetos e quintetos. Não sei dizer exatamente o que acontece. Ele inicia bem a frase, começa bem o improviso e, na hora H, a coisa poca como diria um capixaba desapontado. Paul sempre me passa essa impressão de pocar na conclusão de seus improvisos, ou seja, a coisa não acontece, não fecha. Mas não desisto: vivo catando seus discos até poder afirmar, definitivamente, se ele pode mais ou não que aquele imenso e famoso solo em Diminuendo And Crescendo In Blues, de 7 de julho de 1956, em Newport. Segundo consta, incentivado por Duke, Paul levou a platéia à loucura completa, fazendo com que os organizadores do comportado Festival de Jazz de Newport pedissem para que ele parasse de tocar. Por aqui a coisa vai ser menor e menos alucinada: no Gramophone Jazzseen, logo acima, você ouve a curta faixa Just A Sittin’ And A Rockin’, retirada do álbum de mesmo nome, com Ray Nance no trompete e vocal, gravada em 1970. Boa audição!

3 comentários:

Salsa disse...

Não vou procurar, não. Deixo essa tarefa para os apreciadores de órgão. Quanto ao Gonsalves, há algum tempo atrás, eu deixei uma faixa (creio que com john lewis) na qual ele solava body & soul bastantemente bem.

John Lester disse...

Prezado Mr. Salsa, o salário aqui no blog é pequeno. Mas a diversão...

Deixa que eu procuro o duo de órgão com contrabaixo pra vc rsrsrs.

corneteiro disse...

Lester, perdi minhas polainas!

O que faço???