21/12/2006

Pé Na Jaca

.

Quantos gênios consagrados do jazz teriam coragem de enfiar o pé na jaca? Se você pensou em Miles Davis, acertou. O cara era tão doido que nunca se conformou em sentar sobre seu próprio sucesso e curtir uma tranquila aposentadoria. Miles passou toda sua vida inovando, explorando, criando novas alternativas para o jazz. E com isso sempre despertou a ira daqueles críticos mais conservadores, satisfeitos com o cool jazz inventado por Miles no final da década de 1940. Mas o cara do trompete vermelho e da Ferrari amarela sempre respondeu com um sonoro kiss my ass para toda essa turma. Com 65 anos de idade Miles tirou a camiseta e vestiu uma calça preta com bolinhas brancas para tocar hip-hop com Easy Mo Bee e AB More Jr. Como um Leonardo da Vinci africano, Davis percebeu que sua mensagem pode ser franqueada através de qualquer linguagem, mesmo que ela, a mensagem, seja proferida naquelas agitadas houses européias onde o trip-hop come solto. Miles morreu muito mais jovem que eu, que você, que todos nós juntos. Se você ainda tem ouvido atento e espírito livre vai poder ouvir - mesmo com o batidão hipnótico - o trompete genial de Miles na faixa The Doo-Bop Song. É logo ali no Jazzseen Salad.

4 comentários:

Rogério disse...

Parabéns Mr. Lester por arejar seu espírito natalino ao admitir que Miles meteu o pé na jaca de muita gente e, quem se incomodou com isso, se sujou todo. Outros, não, observaram, admiraram ou simplesmente viram o homem passar como um flash. Um jab nos puristas. E o sr. ainda esculhamba com o Hancock.

John Lester disse...

Prezado Coimbra, eu nunca esculhambei o Hancock. Eu só achei o show dele no Tim - Vix - 2006 uma droga. Só isso. E, apesar disso, quando o show terminou, eu levantei e aplaudi.

augusto carlos disse...

Não sei por aí, mas aqui no Rio o show do Herbie foi uma M.

Roberto Scardua disse...

Não conhecia esse lado rapper de Davis. Valeu John!