31/07/2007

Bergman (1918-2007)


“The basis for all improvisation must be preparation. If I haven't prepared, I can't improvise. If I've made careful preparations I can always improvise. Then I know I have something to fall back on. What I detest is formlessness. That terrifies me. It is seldom that mere formlessness in a work of art conveys anything vivid. More often it gives an impression of effort. But a combination of improvisation and planning — that's good.” - Ingmar Bergman


3 comentários:

CigarraJazz disse...

Foi-se um dos meus favoritos. Quando andava na Faculdade, depois das aulas, enfiava-me no cinema e foi tudo o que apareceu de Ingmar Bergman, entre outros que também não perdia, como , por ex., Andrei Vajda, Marta Metzaros, Robert Altman, Fellini, Polanski, e muito cinema francês.
Fechou com chave de ouro - "Saraband". R.I.P.

Manuela disse...

Ah... Saraband é de chorar ou gritar de lindo.

(Bergman, Antonioni... Por que não foi o... D. Eggs? humpf!)

John Lester disse...

Agora, só nos resta improvisar...