15/07/2007

Turrentine e a ressaca do meu compadre

"Sim, senhor, estou de ressaca", disse-me um amigo com semblante amarrotado (enquanto era fitado pela sua quase desistente esposa). "Mas já tive maiores e piores", continuou. "Uca, branquinha, amarelinha, marafa, cana, aguardente ou cachaça... Chame-a como quiser, que ela atenderá seus pedidos: o gênio feminino na garrafa sabe como guiar seus sentidos para te deixar rindo e nu em qualquer frio fundo de poço". Eu, meio consternado, disse: vida dura, hein? Enquanto o colega foi ao banheiro se recompor, eu vi, sobre a mesa, um disco do Stanley Turrentine (até hoje eu não sei se se pronuncia "taine" ou "tine"). Ele é um músico que, sei lá porque, nunca ouço com grande envolvimento, mas resolvi pedir licença para ouvi-lo e, boa surpresa, o disco soou-me bastante agradável. A balada inicial - Journey into melody - amenizou o clima educadamente tenso que persistia na sala (ao fundo, ainda ouvia-se os gemidos e imprecações do colega em debate com o que restou da noitada anterior). Os minutos seguintes foram devidamente incensados pelo alto astral da mandada soul-jazz de Little Sheri. O disco - Look out - conta com o auxílio de Horace Parlan (p), George Tucker (b), e Al Harewood (d). Se quiseres ouvir, prezado navegante, basta clicar sobre os nomes das músicas. Divirta-se.
PS - Depois de ouvir todo o disco, saí de mansinho, pois o compadre ainda não havia terminado seu turbulento monólogo no mais puro dialeto ressaquês.

8 comentários:

sei não disse...

Diga-me com quem andas que eu ...

marinho disse...

gostei do som. O seu amigo pinguço sabe escolher.

John Lester disse...

Mais uma grande pedida Mr Salsa.

João Luiz disse...

"Taine" ou "tine" , Stanley é uma verdadeira "viagem de navio", i.e, enjoa.

Salsa disse...

João,
Não é por nada, não, mas você com seu ouvido está esquecendo o principal: de ouvir. Eu também já fui resistente a uma série de músicos e, com o tempo, permitindo-me ouvi-los com calma, descobri discos que hoje têm lugar cativo na minha discoteca. Aconselho uma visita ao médico para tirar a cêra do ouvido.

João Luiz disse...

Vou ao médico hoje mesmo sr. Salsa, mas estou com receio de não ter cêra nenhuma no ouvido e então ficar constatado, para mim, ser Stanley Turrentine um enjoado de primeira ordem.

Salsa disse...

Qual é, João? Eu sei que sua implicância é com a organista com quem ele costuma tocar...

Anônimo disse...

Um músico de visível formação autodidata, mas com um lindo e volumoso timbre.Sua maior virtude é a capacidade de empolgação , oriunda de suas raízes RB, mas com alguns trabalhos agradáveis na melhor definição absoluta do termo.Edú