12/09/2007

Hit the road, Salsa


Partirei amanhã, ao nascer do sol, para as alterosas mineiras. Munido do velho espírito beat, vou encarar a estrada e suas curvas. Lá chegando, gastarei, por conta, a pequena fortuna que eu pretendo receber, relativa aos direitos trabalhistas por mais de um ano de serviço pesado nesse sítio, que foram desviados pelo detador, digo, redator-chefe. Mr. Lester bem que tentou fugir, mas a rádio-patroa não deixou, e, como boa pessoa que ela é, está levando, pela orelha, o pretenso fujão, para uma reunião de paz e negociação na praça Tiradentes, em Ouro Preto. O último esforço do dito cujo para evitar o nosso encontro pode ser verificado pelo mapa que ele me enviou, após eu dizer que não conhecia o caminho. Querelas judiciais à parte, pretendo regar meu sedento fígado com doses homéricas de bons vinhos e meus ouvidos com uma overdose de jazz. Tentarei enviar notícias de lá.

6 comentários:

F. Grijó disse...

Espero que Mr. John Lester não tenha o mesmo destino do dito cujo que deu nome à praça em questão.

Tenha uma boa estada, caro saxman.
E traga boas novas.

John Lester disse...

Parto na sexta e, espero, estaremos juntos para curtir Wallace Roney com Mr. Olney.

Até!

Anônimo disse...

Vai com a glória e a defesa de nossos ideais,dos amantes de jazz, nobre viajante.No entanto, degustar bons vinhos em MG só os que passaram pelos caixas do Free Shop do Aeroporto de Confins.Prefira a cachaça,preferencialmente a da região de Salinas.Dica de um consumidor voraz de Coca-Cola Zero.Edú

Salsa disse...

Meu caro Edu,
Separei uma garrafa de pinot noir e um bordeaux, da minha reserva pessoal, que estavam estragando embaixo da pia (para serem degustados com aquela comidinha saudável mineira). Durante o dia eu beberei a boa e velha cachaça de Minas.

Anônimo disse...

esse povo do jazzseen vive na maior "mansa"...

vinicius

Anônimo disse...

Aproveite Salsa´pois estamos aqui chupando o dedo e o bocal da minha flauta...