05/11/2007


  • Jazzseen News - Herbie Hancock

  • Toda Terça: Mr. Salsa no Balacobaco

  • Pedro Nunes – Anthony Wilson

  • Toda Quinta: Turi Collura no Shopping Vitória

  • 9 comentários:

    Roberto Scardua disse...

    Edú, obrigado pela admoestação.

    Até!

    Anônimo disse...

    A primeira vez q vi o nome Mingus num disco ,a época LP,em minha vida, não era propriamente num disco seu.Nem isso despertou-me a atenção e , sim, a gravura de inspiração “expressionista” na capa ,em destaque, na prateleira de uma loja de discos, mais precisamente, na extinta loja Bruno Blois, na rua 24 de maio, em São Paulo, há 26 anos.Ela era registrada de forma esplendida, mesmo aos inocentes olhos de uma criança de 9 anos de idade, pela confortável dimensão q o espaço de uma capa de “LP” emprestava as ilustrações gráficas.O disco era “ Mingus” da cantora e compositora canadense de folk-rock Joni Mitchell (autora da ilustração).Na contracapa, uma foto em preto e branco do irascível baixista do bebop e um dos arquitetos do free jazz(movimento divisório entre os apreciadores da comunidade da musica) numa cadeira de rodas,com a expressão de uma pessoa desesperançada, escoltado por Joni Mitchell.Era a imagem de um semi- inválido,atingido por uma avassaladora doença degenerativa “Síndrome de Lou Gehrig”.Anomalia incurável ate os dias de hj, q provoca uma esclerose articular, tornando as pessoas enfermas incapazes de executar, com a progressão da doença, qualquer espécie de ação motora.Escolhida por Mingus, no projeto de abordagem com declamaçoes e letras à obra “numa tradução livre” "Os Quatro Quartetos" do poeta irlandês T.S.Eliot.Ficando ele,Mingus, responsável pela criação orquestral da peça.Num período de 3 meses, primavera de 78 , em NY, acompanhados por uma luminar seleção de instrumentistas: Stanley Clarke(baixo ac/ele), Jan Hammer (teclados), John McLaughlin (guitarra), Gerry Mulligan (sax barítono), Tony Williams (bateria),tentaram levar a frente essa empreitada.Definida por Mitchell “como mais difícil q condensar a bíblia em poucas páginas”.Porém ,a ação nefasta da doença e a conseqüente morte de Mingus abreviou essa iniciativa.Durante essa curta convivência,Mingus registrou seu carinho a companheira criadora escrevendo 6 peças.Intituladas Joni (I a VI),idéia “homenageada” depois por João Donato em seus temas”Leilas”.Com esse material a disposição (parte dele extraviado ,rejeitado ou arquivados pelos criadores e produtores )Mitchell quis retribuir essa atitude a pessoa q respirou parte de seus últimos instantes de vida a seu lado e tentava “escrever” seu epitáfio musical.Formando novamente um selecionado “ a dedo” "casting" com: Herbie Hancock (piano elétrico) ,Wayne Shorter (soprano sax), Jacó Pastorious (baixo ac/ele e arranjos),Peter Erskine (bateria), Don Alias (congas), e Emil Richards (percussão).Quase 90% do grupo Weather Report,sem o outro “sócio majoritário” da “organização”,Joe Zawinul.Com base no material composto e canções adicionais baseadas em capítulos da auto biografia de Mingus “Saindo da Sarjeta”, lançada no Brasil ,pela editora Jorge Zahar, Mitchell conseguiu elaborar um trabalho de profunda respeitabilidade.Não fazendo a fusão de seu gênero, folk,com o jazz, mas um tocante relato de duas pessoas ,q com formações musicais e personalidades distintas, uniram suas forças num projeto acima das diferenças estilísticas.Só lamento não ter comprado o LP, a reprodução da gravura num cd, comprado num sebo americano por US 4,00 ,parece mais um cartão postal q a inebriante gravura q absorveu minha atenção naquele universo de discos q se encontravam na loja.Edú

    predador.- disse...

    T.S. Eliot é norte-americano, nascido no Missouri.
    Origem inglesa, mas nascido nos EUA.
    Tá mal!!!

    Roberto Scardua disse...

    Prezado Edú, pelo visto o predador está apaixonado por você. Ou seria apenas ódio? Bem, só podemos afirmar que ele perde mais tempo atrás de você do que ouvindo jazz rs. Obrigado pelos comentários, tão bons que sempre geram sincera admiração ou biliar inveja. Até!

    Anônimo disse...

    Scardua, agradecido por sua generosidade e imenso "fairplay".E renovo meu agradecimento ao predador, confiei em conhecimento prévio q se mostrava equivocado.T.S Eliot(Thomas Stearns Eliot)é , a fim de corrigir de forma plena minha desinformação, americano de nascimento e naturalizou-se inglês em 1927.Edú

    jack disse...

    Problema de verdade teríamos se Shakspeare fosse francês...

    predador.- disse...

    Estou apaixonado é por vc, Scardua.
    AH, homem!

    augusto carlos disse...

    Ei! Kd a resenhas???

    Kd Mr. Salsa e Mr. Lester????????

    Jean Claudio Feder disse...

    A cultura é uma ferramenta imbatível no processo de transformação social.
    Uma das identidades mais fortes do Brasil é a música.
    O objetivo deste site seria sugerir um empreendimento que reunisse um projeto turístico-hoteleiro e um projeto social e cultural.
    Espero que a realização desta idéia possa proporcionar oportunidade de trabalho, crescimento pessoal e lazer a inúmeras pessoas.
    COMUNIDADE DA MUSICA
    comunidadedamusica@uol.com.br