19/12/2007


  • Jazzseen News

  • 4 comentários:

    Anônimo disse...

    Joel Dorn foi o descobridor e produtor dos primeiros trabalhos da correta cantora Jane Monheit.Percebendo seu potencial, criou especialmente um selo pra abrigar seus trabalhos iniciais, 32 Jazz.Foi uma aposta feliz:o primeiro e segundo disco de Monheit, recheados de músicos de enorme gabarito e amigos de Dorn , como Kenny Barron e Michael Brecker , foram sucessos na perspectiva do mercado de jazz.Repassou seus direitos sobre a “pupila” a Sony, embolsando com lucro o investimento feito.Depois utilizou seu selo pra relançar em cds gemas do arquivo da Muse e principalmente da Atlantic.Raras vezes um companhia fonográfica de curta duração, menos de 3 anos, possuiu um catalógo tão precioso.Discos como: European Concert ,do Modern Jazz Quartet,Jacquet´s Got It ,de Illinois Jacquet(talvez o melhor álbum de big band da década de 80),uma belíssima coletânea dupla de Chris Connor ,retirada do acervo da Atlantic,Laurindo de Almeida com o Modern Jazz Quartet,Sonny Stitt, com dois de seus melhores discos em um cd(Tune up!/Constellation) e finalmente, jamais lançado por aqui ,o encontro do maior arranjador vivo brasileiro, Eumir Deodato,com um dos mais originais criadores da bossa nova, João Donato, no cd, Donato&Deodato.Descanse em paz.Edú

    Mª. Augusta disse...

    Mais uma resenha elucidadiva do Edú ( no comentário ). Legal!

    Anônimo disse...

    Feliz natal a tí, Maria Augusta e aos teus caros.Edú

    alberto disse...

    Perfeito!