03/11/2009

Jazzseen Recomenda - Forests – Brazilian Trio – Zoho Music (2008)

Sem vestir mangas bufantes e balançar maracás, o Brazilian Trio revela no título a orgulhosa origem dos três músicos radicados há mais de vinte anos no circuito dos melhores clubes de jazz de Nova York e New Jersey. Todos os três, felizmente, tendo ingressado pela entrada da frente na barreira da imigração. Duduka Da Fonseca e Nilson Matta (o artigo 'da' foi retirado do sobrenome para facilitar a fluência na pronúncia do inglês) são amigos e parceiros de longa data no Trio da Paz - conjunto que conta com o agregamento do guitarrista Romero Lumambo - e gravações em discos com o vibrafonista Joe Locke e o pianista Kenny Barron. Apesar de Maúcha, mulher de Duduka, ter sido vocal de apoio da “Banda Nova” - de Tom Jobim - se desconhece o peso na decisão do baterista em acatar – no ano de 1975 - a sugestão do maestro e “fazer do portão de embarque do Galeão a melhor saída para o músico brasileiro”. Nilson, por sua vez, graduou-se na UFRJ com o decano dos professores de contrabaixo, Sandrino Santoro, e seguiu mesmo destino de “check in” em 1985. Hélio Alves, caçulinha do grupo com 43 anos, veio de São Paulo onde foi discípulo da lenda da vida noturna paulistana – o contrabaixista Xu Vianna. Desembarcou na Berklee em Boston onde concluiu seu bacharelado de piano no ano de 1990. Juntos, separados ou individualmente os três vértices musicais do trio brasileiro tem longa lista de participação como importantes colaboradores – tanto como instrumentistas ou arranjadores - em gravações com Joe Henderson, Yo Yo Ma, Joe Lovano, Paquito De Rivera, Gato Barbieri, Harry Allen, Herbie Mann, entre outros. Em 2008 o trio produziu seu primeiro disco pelo selo Zoho de título Forests – indicado ao Grammy Latino como melhor álbum instrumental - cuja faixa Paraty de autoria de Nilson fica para deleite dos visitantes.

16 comentários:

John Lester disse...

Mestre dù sabe das coisas. Obrigado pela dica.

Grande abraço, JL.

Érico Cordeiro disse...

Falou e disse, Mestre Edú.
Uma dica fabulosa, a julgar pela qualidade dos envolvidos.
Abração e parabéns!!!

figbatera disse...

Que beleza!

edú disse...

Queridos amigos e colegas que atravessaram indomitamente o invadir da madrugada na defesa do jazz :bom dia!.Belas praias - como as do eixo Ubatuba - Parati - são capazes de tamanha inspiração.

figbatera disse...

Caraca! Eu nunca havia visto uma "associação" entre o jazz e o strip-tease.
Uma maravilha isso!

Salsa disse...

Timaço-aço. Vamos à cata.
Abraços.

APÓSTOLO disse...

EDÚ:

Time de primeira, valorizado por escribas que sabem das coisas !!!

Andre Tandeta disse...

Parabens,Edú, simples,informativo e muito bem escrito texto,a altura dos musicos do Trio.
Som muito bacana! Helinho é ferissima mesmo.
Abraço

LeoPontes disse...

Nada a declarar como soberbo. A turma daqui anda tocando mais, muito mais. Parecem que perderam o timing, o Tandetta que o diga.Pra mim não bateu. Ficou um salsa-samba, diferente pode ser, mas nenhuma maravilha. Pra mim estão mais pra lá do que pra cá.Ou então o contrabaixo foi gravado modestamente. Tem algo estranho.
Pode ser o meu dia.

Abrçs

edú disse...

Mano velho,tú faz falta.Todas as opiniões são importantes, inclusive as discordantes.

pituco disse...

edu-sama,

primeiro, obrigado pela visita e comentário oportuno lá no rancho virtual...deixei inclusive um link com vídeo do roditi e o hélio(se é que já não conheces)

impecável post, tema bastante polêmico...free jazz...mas, o jazz já é free...rs...liberdade para improvisar...basicamente,não é isso?...bom, talvez seja minha ingenuidade.

agora,
melhor do que se ouviu aqui,pra mim foi o que se leu...redação jornalisticamente precisa e preciosa...valeô

abraçsons

edú disse...

Errata: para efeito de correção a faixa disponível para audição dos visiatntes tem o título de Paraty.

edú disse...

leia-se visitantes.

edú disse...

Very Kind.Thank You.Agora tá nos trinques e certo.

pituco disse...

edu,

tô ouvindo esse mesmo tema...paraty...no cd 'canta brasil' de kenny barron de 2002

curioso que lá consta que a autoria é do próprio barron...embora o nilson (assim como o duduka) toquem nesse álbum...(???)

é isso aí, a estória se repete...hehehe

abraçsons pacíficos

edú disse...

Prezado sr.Pituco,
no exato instante em que apreciava sua mensagem um apagão elétrico deixou - em dados atualizados - 18 estados brasileiros na escuridão.Inclusive a tapera que me dava abrigo.Somente hoje, dia 11, a luz do sol e do conforto dos mega watts consegui pegar o cd Forests e confirmar que consta autor da faixa Paraty Nilson Matta - com direitos autorais administrados pela BMI.Fico indeciso, então, quem tomou as devidas liberdades artísticas e assumiu a paternidade primeiro.Como dizia o capixabense Carlos Imperial quando lhe indagavam porque registrara a cançoneta "Meu limão, Meu limoeiro" como sua autoria.Quando ela era unanimemente de domínio público.Imperial justificava " bastardo algum merece ser reconhecido na vida como obra desconhecida".Saudações.Edú